Ir para o conteúdo

Serasa: 8 em cada 10 idosos já acessam aplicativos bancários

Nesse cenário em que os meios digitais são priorizados, é preciso redobrar os cuidados para garantir a segurança

A digitalização das finanças já é uma realidade para a geração Baby Boomer, com mais de 59 anos. Impactados com as transformações que aceleram as mudanças de hábitos financeiros, 79% dos idosos já são adeptos a aplicativos bancários para movimentar suas finanças pelo próprio celular, de acordo com pesquisa da Serasa que investigou a diferença entre as gerações na hora de se relacionar com o dinheiro.

Nesse cenário em que os meios digitais são priorizados, é preciso redobrar os cuidados para garantir a segurança, conforme mostra a pesquisa “A Relação das Gerações com as Finanças Pessoais”.  Mesmo com o crescimento de usuários nos aplicativos, a geração Baby Boomer ainda é a que menos se sente segura para utilizar esse tipo de serviço online para controle de gastos (29%).

“São várias as mudanças que contribuem para essa aceleração de adesão aos aplicativos, como o isolamento social causado pela pandemia de Covid-19 e a popularização dos serviços digitais, como o Pix”, afirma Patrícia Camillo, gerente de Prevenção a Fraudes da Serasa. “Ao mesmo tempo, os idosos já acompanharam uma série de mudanças econômicas ao longo dos anos e, por isso, ainda têm menos confiança no digital. O motivo principal é o medo de golpes que causam prejuízos financeiros e, muitas vezes, emocionais”.

Como evitar golpes

Dessa forma, criminosos exploram a vulnerabilidade entre as pessoas mais velhas e a possível falta de familiaridade com certas tecnologias para aplicar fraudes. Entre os principais golpes, estão e-mails ou mensagens fraudulentas nas redes sociais, que se aproveitam da tática conhecida como phishing para enviar comunicações falsas, projetadas para parecerem legítimas, de bancos ou instituições financeiras conhecidas. “Essas mensagens podem solicitar informações pessoais, como dados, senhas e números de cartão de crédito para roubar informações sensíveis e obter acesso às contas dos idosos”, explica Patrícia.

Para se proteger e evitar situações como essa, a Serasa reforça cinco boas práticas preventivas que ajudam idosos no combate a crimes e golpes financeiros na internet:

·         Crie senhas fortes: ao escolher uma senha, prefira códigos compostos por uma combinação de letras maiúsculas e minúsculas, números e caracteres especiais. Evite senhas óbvias, como datas de aniversário ou sequências numéricas simples, que podem ser alvos fáceis de criminosos.

·         Na dúvida, não clique: entender o que é um e-mail falso é o antídoto para reconhecer sinais de e-mails ou mensagens suspeitas, evitando o phishing. Por isso, antes de clicar, responder ou realizar qualquer transação, verifique a autenticidade das páginas, buscando o “https” no endereço do site e o cadeado na barra de navegação. No caso de perfis nas redes sociais, procure pelo selo de verificação para garantir que se trata de um canal oficial.

·         Ative o antivírus e a proteção de segurança: uma boa dica é instalar um programa de antivírus confiável nos dispositivos e atualizar regularmente, para ajudar a detectar e eliminar ameaças. Além disso, também vale realizar backups (cópia de segurança) de dados importantes regularmente, como fotos, documentos e outros arquivos, o que ajuda a evitar a perda em caso de problemas técnicos ou ataques cibernéticos. Caso tenha alguma dúvida, peça ajuda ou busque profissionais especializados nesse tipo de instalação.

·         Desconfie de ofertas tentadoras demais: ao receber ofertas ou promoções com preços muito abaixo do mercado na internet, fique alerta. Os esquemas fraudulentos utilizam essa tática para fisgar as vítimas – em especial, pessoas com menos prática e experiência no ambiente digital. Por isso, se receber alguma proposta, oferta ou boleto, revise todas as informações, inclusive, sobre o beneficiário indicado. Para evitar a desconfiança, prefira utilizar os aplicativos oficiais dos bancos ao realizar qualquer transação.

·         Monitore seus dados: o acompanhamento regular do CPF é uma estratégia funcional para agir antes que o problema fuja do controle. Para ter mais segurança e tranquilidade, a Serasa oferece seu serviço de assinatura para monitorar o uso dos seus dados e garantir mais segurança. O Serasa Premium envia notificações ao usuário sempre que houver consultas ao CPF, abertura de empresas em seu nome, vazamento de dados na Dark Web e acesso a um canal de atendimento exclusivo e consultoria personalizada.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes