Ir para o conteúdo

Abastecimento de energia no AM deve ser normalizado totalmente hoje

Ministro Alexandre Silveira determina instalação de sala de situação

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse nesta segunda-feira (15) que o abastecimento de energia nas cidades amazonenses atingidas por um apagão na tarde desse domingo (14), deve ser normalizado totalmente ainda hoje.

A interrupção no fornecimento de energia ocorreu por volta das 15h com o desligamento dos circuitos 1 e 2 da linha de transmissão Lechuga-Manaus, de propriedade da Amazonas Energia, deixando sem luz boa parte da capital amazonense e cidades do interior como Presidente Figueiredo, Manacapuru e Iranduba.

Ainda na noite de ontem, o abastecimento começou a ser retomado e, de acordo com o Ministério das Minas e Energia (MME) e o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), atingiu 80% da carga na região, estando atualmente em 84%, devendo alcançar 100% nesta segunda-feira.

“[O fornecimento de] 100% é hoje, mas é importante dizer que esses 84,6% já estabelecidos são 93% da população e da indústria daquela capital. Então é só para ter um dado preciso sobre isso. Quase toda a população já está incluída. Agora está mais restrita às subestações e as questões pontuais do setor”, disse o ministro Alexandre Silveira na sede do G20, em Brasília, onde participa da primeira reunião presencial do Grupo de Trabalho (GT) de Transições Energéticas do G20.

O fornecimento de energia, em Manaus, já está normalizado, informou a concessionária de energia do estado, Amazonas Energia, por meio de uma rede social. "Amazonas Energia informa que, após os procedimentos operacionais coordenados pelo ONS e de manobras internas desta distribuidora, o sistema elétrico de Manaus está normalizado”, disse a empresa.

Sala de situação

Com a queda, o ministro a determinou, de maneira imediata, a instalação de sala de situação para acompanhar o suprimento energético e entender as causas do incidente no estado do Amazonas. A sala ficou responsável por elaborar um relatório para análise da ocorrência, com foco na identificação da causa raiz que originou esse desligamento.

“A sala continua montada até que, efetivamente, o último evento se dê. E a causa foi ali em duas linhas de transmissão”, pontuou o ministro que cobrou o esclarecimento sobre os motivos do desligamento da linha de transmissão.

“É impossível não ter eventos do setor elétrico, porque num país transcontinental como o Brasil, nós vamos sempre ter intercorrências. O que não é admissível é que essas intercorrências se deem pelo mesmo motivo”, completou.

Para o ministro, é importante o setor elétrico utilizar de maneira didática esses episódios como aprendizado. “Nós vamos ter diversos eventos, espero que sempre de pequeno porte, mas o mais importante é a atenção e a correção, para que eles se deem de cada vez de forma mais espaçada e com menor proporção”, afirmou.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes