Ir para o conteúdo

Advogada é presa por transporte irregular de arraias vivas no aeroporto de Manaus

“A cidade de Manaus servia como ponto intermediário, onde as arraias recebiam oxigênio antes de serem enviadas para o exterior”, afirmou a PF.

Arraias estavam em sacos

A Polícia Federal (PF) prendeu em flagrante uma advogada por tentar despachar 14 arraias vivas em três caixas de isopor. A intenção da advogada, segundo a PF, era embarcar para São Paulo e vender os animais pela internet. A prisão ocorreu no Aeroporto Internacional de Manaus.

Inicialmente, a advogada teria declarado no processo de desembaraço da carga que estava transportando ‘Cichla Vazzoleri’, peixe regional conhecido como tucunaré. No entanto, segundo informações preliminares, as acusações incluem maus-tratos, pois os animais estavam sendo transportados em sacos plásticos com quantidade limitada de água e oxigênio. A espécie em questão era Potamotrygon Motoro, encontrada em toda a Bacia Amazônica.

“A cidade de Manaus servia como ponto intermediário, onde as arraias recebiam oxigênio antes de serem enviadas para o exterior”, afirmou a PF.

A suspeita será processada por falsidade ideológica, biopirataria, maus-tratos e exportação ilegal.

A advogada foi conduzida à sede da Polícia Federal e será interrogada. A operação contou com o apoio da Receita Federal e do Ibama.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes