Ir para o conteúdo

CAS 314 aprova R$ 1,73 bilhão em novos investimentos

Projetos estimam a geração de 1.028 novos postos de trabalho

Reunião foi realizada nesta terça-feira

O Conselho de Administração da Suframa (CAS) aprovou nesta terça-feira (30), durante sua 314ª Reunião Ordinária, realizada por videoconferência, uma pauta com 26 projetos industriais e de serviços que totalizam R$ 1,73 bilhão em investimentos e estimam a geração de 1.028 novos postos de trabalho, bem como reforço no faturamento do Polo Industrial de Manaus (PIM) na ordem de R$ 8,35 bilhões em até três anos.

A reunião foi presidida pelo secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Márcio Elias Rosa, e contou com a participação do superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antonio Silva, e de conselheiros, parlamentares, representantes de entidades de classe e agentes públicos, entre outros.

A pauta aprovada na reunião de hoje contém 13 projetos industriais de implantação e 13 projetos industriais de diversificação e atualização e contempla investimentos em diferentes subsetores do PIM, com destaque para o Polo Eletroeletrônico (9 projetos no total).

Um dos projetos mais destacados na fala dos conselheiros foi o de diversificação e atualização da BYD Indústria de Baterias, com investimentos totais de R$ 169,01 milhões, para fabricação de módulo acumulador de energia elétrica para ônibus elétricos utilizando células eletroquímicas. “Este projeto é de grande relevância, pois envolve a produção de baterias para ônibus elétricos na Zona Franca de Manaus. Alinhado com a tendência global de redução das emissões de carbono, fortalece o compromisso com a sustentabilidade ambiental, adaptando a indústria automotiva à crescente demanda por soluções mais verdes”, destacou o superintendente Bosco Saraiva.

Outro fato de destaque também foi a participação inédita do Ministério dos Povos Indígenas (MPI) em uma reunião do CAS, possibilitada pela edição do Decreto n.º 11.435/2023. O órgão esteve representado, na ocasião, pelo conselheiro suplente e líder do povo Sateré-Mawé oriundo da região do Baixo Amazonas, Jecinaldo Sateré, que destacou a importância de a comunidade indígena ter, pela primeira vez, um assento no CAS.

“Queremos primeiramente agradecer a extensão desse convite. É um avanço na nossa avaliação ter a presença indígena nesse diálogo sobre desenvolvimento sustentável para a Amazônia, levando em consideração que temos uma diversidade muito grande de povos indígenas em toda a região amazônica”, afirmou Sateré. “Reconhecemos que a Zona Franca de Manaus é um modelo que ao longo dos anos tem garantido a floresta em pé, mas nós queremos agora, com esse assento no CAS, participar das discussões de forma mais ativa, principalmente na parte social, na parte ambiental, para que nós possamos de fato trabalharmos um desenvolvimento sustentável”, complementou.

Em seu pronunciamento, o secretário-executivo do MDIC, Márcio Elias Rosa, destacou, primeiramente, as enormes expectativas em torno de bons resultados com a gestão do novo Centro de Bionegócios da Amazônia (CBA) e também lembrou a prioridade que tem sido dada pelo governo federal em torno da rota multimodal Manta Manaus, como forma de contribuir para o aprimoramento da infraestrutura logística da região. Ele também destacou que, atualmente, existem apenas 7 pleitos de Processos Produtivos Básicos (PPBs) pendentes de análise, o que exemplifica a atenção que tem sido dada às questões de interesse da indústria da Zona Franca de Manaus.

Por fim, Rosa afirmou que a taxa de desempenho no Brasil está no menor patamar desde 2015 e que os diversos índices de confiança na economia estão aumentando, o que, corroborado com o crescimento de investimentos no setor industrial, tende a potencializar o crescimento da economia brasileira já verificado no ano passado. “Digo tudo isso para reforçar as discussões sobre desenvolvimento econômico numa região absolutamente essencial, em que estamos aprovando novos projetos industriais. Precisava dividir a alegria de constatar que o Brasil de fato voltou e está no rumo certo”, afirmou o secretário-executivo.

Próxima reunião

Os conselheiros também aprovaram uma nova data para realização da 315ª Reunião Ordinária do CAS, que estava agendada, originalmente, para o dia 13 de junho, e agora será realizada no dia 28 de junho.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes