Ir para o conteúdo

Cerca de 14 toneladas de drogas são incineradas no AM

De acordo com o governo do Amazonas, todo o material apreendido representou um dano de R$ 478,2 milhões ao crime organizado

O material destruído é parte das apreensões realizadas pelas forças de Segurança do Amazonas

O Governo do Amazonas realizou, nesta terça-feira (07/05), a maior incineração de drogas já registrada no estado. Ao todo, foram destruídas 14 toneladas de entorpecentes, entre maconha do tipo skunk e cocaína. Todo o material foi apreendido a partir do trabalho realizado pelas Polícias Militar (PMAM) e Civil (PC-AM) em Manaus e interior do estado e representou um dano de R$ 478,2 milhões ao crime organizado.

O material destruído é parte das apreensões realizadas pelas forças de Segurança do Amazonas em 2023 e nos quatro primeiros meses de 2024. Totalizando, foram apreendidos do período 41,3 toneladas de drogas, que foram retiradas de circulação.

De acordo com o secretário da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Vinícius Almeida, os investimentos realizados na segurança intensificaram o empenho no combate à criminalidade, principalmente contra o tráfico de drogas.

“O Governador Wilson Lima tem feito um investimento muito grande na área de segurança pública. Ainda na semana passada foram 13 milhões entregues em armamentos e equipamentos e o resultado é o empenho da Polícia Militar, Polícia Civil demonstrado hoje aqui através de números e toneladas. A gente mexe diretamente na possibilidade de arrecadação dessas organizações e também essa droga deixa de chegar nas ruas”, afirmou o secretário.

Toda a ação foi realizada a partir da autorização do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Ao todo foram destruídas 14 toneladas de entorpecentes, deste total, 3,6 eram de cocaína e 10,41 de maconha do tipo skunk. O delegado-geral da PC-AM, Bruno Fraga, lembrou que a maioria da droga destruída foi apreendida no final do ano passado e início deste ano, através de diversas investigações.

“Foram diversas operações que culminaram nessas apreensões. Um trabalho investigativo robusto que se dá em razão dos investimentos que o governo do estado faz na polícia civil, permitindo que, com tecnologia, a gente consiga demonstrar ao Poder Judiciário e consiga chegar nos locais onde essas drogas são armazenadas”, disse o delegado-geral.

O subcomandante-geral da PMAM, coronel Thiago Balbi, ressalta que o aumento na apreensão de entorpecentes é resultado dos trabalhos de todos os órgãos da Segurança Pública.

“A gente vem intensificando as ações, utilizando do trabalho integrado com a Polícia Civil nos aproximando das delegacias especializadas do DENARC, DRCO e CORE em ações conjuntas. Utilizando a inteligência da Secretaria de Segurança, juntamente com a nossa inteligência para entender as facções criminosas, a dinâmica do narcotráfico e conseguir fazer esse combate especializado”, destacou o subcomandante.

Apreensões 2024

Entre janeiro e o dia 29 de abril, a SSP-AM apreendeu cerca de 13,2 toneladas de drogas, em operações deflagradas pela PC-AM e ações realizadas pela PMAM para combater o tráfico de drogas na capital e interior do estado. O número é 22,33% maior que as apreensões realizadas no ano anterior, que foi de 10,6 toneladas.

O resultado é fruto do trabalho das Forças de Segurança e, também, dos investimentos do Governo do Amazonas. Nos últimos quatro meses, foram investidos mais de R$ 26 milhões em viaturas, armamentos e equipamentos para todo o Sistema de Segurança.

Entre as apreensões de destaque está a registrada em 19 de fevereiro deste ano, quando policiais do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) apreenderam 1,5 tonelada de drogas e armamentos de guerra. Todo o entorpecente foi encontrado no galpão, no conjunto Parque das Laranjeiras, bairro Flores, zona centro-sul de Manaus. O prejuízo ao crime organizado foi avaliado em R$ 24 milhões.

Ainda no dia 06 de fevereiro, em nova ação, a PC-AM prendeu duas pessoas, que resultaram na apreensão de cerca de uma tonelada de drogas no rio Solimões, próximo a Coari. A investigação identificou um grupo que transportava drogas de Japurá para Manaus, com prejuízo estimado em R$ 9,5 milhões.

O trabalho integrado entre o policiamento ostensivo e de inteligência, também, tem resultado em grandes apreensões pelas equipes da Polícia Militar (PMAM). Foi a partir desta integração que, no dia 05 de fevereiro, os policiais do Comando de Operações Especiais (COE), em conjunto com as equipes da Base Fluvial Arpão 2, localizaram mais 435 quilos de entorpecentes.

Além disso, outra operação, chamada Jomini, liderada pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), no dia 02 de fevereiro, resultou na apreensão de 2,8 toneladas de drogas, armamentos, uma lancha e uma picape S10, e na prisão de três pessoas, com prejuízo estimado em R$ 50 milhões. O sítio onde ocorreu a operação servia como entreposto para traficantes de drogas, que fracionavam e distribuíam o material.

Ano passado

Ao longo de todo o ano de 2023, a integração das Forças de Segurança resultou na retirada de mais de 28 toneladas de drogas das mãos das organizações criminosas. O quantitativo, de acordo com levantamento realizado pelo Centro Integrado de Estatística de Segurança (Ciesp), mostra que o Amazonas apreendeu mais entorpecentes que a soma das apreensões registradas de todos os demais estados da Região Norte.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes