Ir para o conteúdo

'Churuca do Japiim’ é preso na Operação Piramutaba, em Florianópolis

Saiba quem é o famoso Churuca do Japiim, que se escondia no Sul do Brasil.

Churuca do Japiim

Alexandre Araújo Brandão, o vulgo “Churuca do Japiim” foi preso na manhã desta sexta-feira (26), durante uma operação Piramutaba, envolvendo a Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Federal, que está ocorrendo no Amazonas, onde ele é apontado, segundo a Secretário de Segurança Pública do Amazonas, como um integrante do “conselho permanente” de uma organização criminosa, ligada ao estado do Rio de Janeiro. A matéria é do Radar Amazônico.

O acusado foi preso na cidade de Florianópolis, em Santa Catarina, por posse ilegal de arma de fogo com numeração raspada, jóias e documentos. Além de lavagem de dinheiro, o acusado respondeu também por tráfico de drogas e doze homícidios.

Com isso, “Churuca” ficará custodiado no sistema prisional de Santa Catarina e deve ser transferido para Manaus. A Justiça Catarinense vai analisar o caso.

Durante uma investigação realizada em 2012 que mostrava os “possíveis xerifes” que comandavam a Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), formado por bandidos de alta periculosidade, que organizava festas e mantinham contato além muros por meio de celular, Alexandre Araújo Brandão foi apontado como “xerife menor“, que atuava para comandar festas, e usar celulares. Porém, de lá para cá, a hierarquia de comando pode ter mudado e Churuca pode ter subido para o alto escalão do crime. Atualmente, Alexandre seria responsável pelo bairro Japiim, por uma facção criminosa.

Em junho de 2013, Churuca estava preso na Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, mas durante fiscalização da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejusc) foi verificado que ele havia fugido da unidade prisional.

Ataque a facção criminosa

Em abril de 2021, Churuca novamente foi preso, juntamente com dois soldados do tráfico, que não tiveram os nomes divulgados, na avenida Buriti, Monte das Oliveiras, zona Norte da Capital. Na ação,  14 armas foram apreendidas. Na época, uma operação foi montada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas, que tinha como titular da pasta Louismar Bonates.

O tenente Jones das Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), que comandou a operação de prisão, confirmou que os soldados de “Churuca” estavam planejando um ataque a outra facção rival. Além disso, ele é pontado em investigações como traficante no bairro Monte das Oliveiras e também atuava na área do Japiim, na zona Sul.

Após 2 meses de prisão, ele teve o pedido de prisão domiciliar deferido, por demonstrar em juízo que estava com hérnia de disco (com laudo médico), pelo prazo de 30 dias, mediante monitoramento eletrônico, podendo se ausentar da residência apenas para ir ao médico. Mas ele violou a prisão domiciliar e desde lá estava solto.

Mais informações sobre a própria operação das Polícias Civil e Federal foram dadas no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), nesta sexta-feira (26).

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes