Ir para o conteúdo

Ciclista que cruzou o Brasil de bicicleta desaparece na fronteira com Essequibo

A esposa e o filho dele foram até Boa Vista para acompanhar a investigação, mas estão desde quarta-feira (24) sem qualquer nova informação

Ele falou pela última vez com a família, no dia 27 de março, quando estava no município de Uiramutã (RR). 

O missionário e ciclista George da Silva de Souza, de 63 anos, desapareceu perto da fronteira do Brasil com Essequibo, na Guiana, quando fazia sozinho uma expedição de bicicleta que começou no Chuí (RS), no extremo sul do país, e tinha como destino o Monte Caburaí, o ponto mais extremo do Norte do Brasil, em Roraima.

Ele falou pela última vez com a família, no dia 27 de março, quando estava no município de Uiramutã (RR).

A esposa e o filho dele foram até Boa Vista para acompanhar a investigação, mas estão desde quarta-feira (24) sem qualquer nova informação.

"Domingo passado foi enviada uma equipe lá para Uiramutã, para levantar informações. Na quarta-feira, minha mãe ligou (...) e eles disseram que estavam retornando aqui para Boa Vista. Desde então, nós não recebemos mais nenhum contato deles, nada, silêncio absoluto", diz Gregori de Souza, filho de George, ao G1.

Expedição

Militar aposentado da Força Aérea Brasileira, George começou a expedição no dia 19 abril do ano passado no Arroio Chuí, que fica na fronteira do Brasil com o Uruguai, conhecido por ser o ponto mais extremo no Sul do território brasileiro.

Chegou a Uiramutã, no Norte de Roraima, no dia 25 de março e de lá seguiria viagem pedalando até o Monte Caburaí.

Ao g1, Gregori disse que o pai sempre fez esse tipo de expedição, mas essa seria a mais complexa. Ele mantinha contato frequente com a família durante toda a viagem.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes