Ir para o conteúdo

Conselheiro de facção criminosa é preso com armas de fogo

De acordo com a Polícia Civil (PC-AM), o homem tinha poder de decisão dentro da organização criminosa que opera o narcotráfico na capital

Conselheiro de uma facção criminosa, Maicon de Morais Barreto, o "MD", foi preso no domingo (10/12), na Avenida Tancredo Neves, bairro Parque 10, zona Centro-Sul de Manaus. De acordo com a Polícia Civil (PC-AM), o homem tinha poder de decisão dentro da organização criminosa que opera o narcotráfico na capital.

O delegado Cícero Túlio, titular do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), informou que o homem estava sendo monitorado há 30 dias, após o desdobramento de ações da Polícia Civil.

“Maicon é um velho conhecido da Polícia Civil do Amazonas e de outros estados. Ele é especialista em arrombamento de caixas eletrônicos e cofres de estabelecimentos bancários e chegou a ser condenado a 32 anos de prisão e cumpriu oito deles em regime fechado. Na cadeia, ele conseguiu ascender na organização criminosa, ocupando o posto de conselheiro”, explicou a autoridade policial.

O delegado informou que, dentro da facção, MD tinha o poder de voto para decidir alguns tipos de ações criminosas de maior gravidade que eram impostas pela organização. À polícia, o homem informou que deu suporte a homicídios durante a disputa territorial pelo tráfico de drogas.

“O depoimento será encaminhado para outras especializadas que tomarão as medidas cabíveis”, disse Cícero Túlio.

Prisão
Os policiais do 1º DIP conseguiram interceptar o veículo que MD estava dirigindo, na tarde de domingo, no momento em que ele faria a entrega de armas para outro integrante do narcotráfico, de acordo com PC-AM. Com ele, a polícia encontrou duas armas de uso restrito, incluindo uma da Polícia Militar do Amazonas, além de munições.

“No veículo, encontramos vestígios de drogas, o que supõe que ele usava esse meio para transportar e acondicionar drogas”, informou, acrescentando que MD responderá por porte de armas. “Agora, vamos desdobrar ainda mais as investigações, para identificar outros envolvidos no esquema criminoso”, informou o delegado.

Publicidade TCE
Publicidade UEA
Publicidade CMM

Mais Recentes