Ir para o conteúdo

Léo Índio, sobrinho de Bolsonaro, é alvo de busca e apreensão da PF

O objetivo principal dessa operação é identificar os indivíduos que incitaram, participaram e financiaram os eventos ocorridos em 8 de janeiro

Léo Índio é sobrinho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL)

A Polícia Federal (PF) está executa nesta quinta-feira (25), cinco ordens de prisão e treze mandados de busca e apreensão como parte da 19ª etapa da Operação Lesa Pátria. A informação é da Revista Fórum.

As ações estão sendo realizadas em diversas localidades, incluindo Cuiabá/MT, Cáceres/MT, Santos/SP, São Gonçalo/RJ e Brasília/DF.

Um dos indivíduos visados é Léo Índio, sobrinho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), com buscas em endereços relacionados a ele. No total, as medidas visam doze pessoas sob investigação.

8 de Janeiro

O objetivo principal dessa operação é identificar os indivíduos que incitaram, participaram e financiaram os eventos ocorridos em 8 de janeiro. Naquela data, extremistas vandalizaram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal.

Segundo a PF, os fatos investigados incluem os seguintes crimes:

  • abolição violenta do Estado Democrático de Direito;
  • golpe de Estado;
  • dano qualificado;
  • associação criminosa;
  • incitação ao crime;
  • destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido;
  • crimes da lei de terrorismo.

Léo Índio

Ainda nas horas seguintes aos atos de vandalismo em Brasília, em janeiro, Léo Índio publicou imagens em uma rede social em cima do Congresso Nacional e próximo ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em uma das postagens, ele aparece com os olhos vermelhos, segundo ele devido ao gás lacrimogêneo usado pela Polícia Militar.

Publicidade BEMOL
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade UEA

Mais Recentes