Ir para o conteúdo

Fibra subfluvial rompida afeta sinal de internet no Amazonas

Segundo a Associação Brasileira de Internet (Abranet), Manaus está, desde segunda-feira (13), navegando na internet por contingência

Alguns municípios do interior, como Manaquiri, Careiro Castanho e Autazes, estão sendo diretamente afetados

O sinal de internet e de telefonia celular está sendo impactado na capital e nas cidades do interior do Amazonas, após rompimento em uma fibra subfluvial da Embratel, no Rio Solimões. Segundo a Associação Brasileira de Internet (Abranet), Manaus está, desde segunda-feira (13), navegando na internet por contingência. As informações são do site Toda Hora.

De acordo com o vice-presidente da Abranet, Jesaias Arruda, o sinal de internet na capital só está funcionando por conta da Interligação Tucuruí-Macapá-Manaus, mais conhecida como ‘Linhão de Tucuruí’. Alguns municípios do interior, como Manaquiri, Careiro Castanho e Autazes, estão sendo diretamente afetados.

“A Embratel está com um rompimento desde ontem, começou por volta das 7h40, atingindo várias regiões da cidade com problemas na telefonia celular e no acesso a internet. Isso também está impactando diretamente as cidades que ficam do outro lado do rio. Na capital, a navegação está ocorrendo por contingência, usando o Linhão de Tucuruí”, explicou.

Ao entrar em contato com o gerente de contas da Embratel, Arruda foi informado de que existem dois problemas principais: “Segundo ele, tem a questão da estação, que já está sendo contornada. Contudo, o serviço ainda não está 100%, uma vez que há uma fibra subfluvial rompida no Rio Solimões. Os operadores já estão atuando no local para fazer a fusão, mas, por ser de baixo do rio, a situação é mais crítica”, esclareceu.

Jesaias Arruda diz que o sinal de internet na capital só está funcionando por conta da Interligação Tucuruí-Macapá-Manaus

Conforme o gerente, por conta do rompimento na fibra, três cabos que chegam ao estado estão com defeito. Dois deles vem do Pará (principal e redundância) e um vem de Porto Velho.

“Desde o início das nossas atividades na região nunca tivemos nenhum evento parecido com esse. Estamos junto com nosso Upstream verificando alguma forma para agilizar esse processo. Esse evento está sendo tratado pela diretoria nacional de operações da Embratel e eles não estão medindo esforços pra resolver o quanto antes essa situação’’, finalizou.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes