Ir para o conteúdo

Fundação Cecon realiza 3,2 mil cirurgias oncológicas em 2023

A Fundação oferta cirurgias em 12 especialidades, com procedimentos de pequena, média e alta complexidades

A cirurgia é um dos tripés do tratamento oncológico juntamente com a quimioterapia e a radioterapia ofertados pelo Governo do Amazonas, por meio da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM). Em 2023, o hospital realizou 3.288 cirurgias de pequena, média e alta complexidade em 12 diferentes especialidades.

Em 2023, o número de cirurgias foi 4,05% maior que o realizado no ano de 2022, quando foram realizadas 3.160 cirurgias oncológicas.

Estrutura

Em 2022, o Governo do Amazonas finalizou a reforma e modernização do centro cirúrgico e da Central de Material Esterilizado (CME) da FCecon, com o investimento de R$ 6,4 milhões em recursos do Estado e emendas parlamentares.

O centro cirúrgico e a CME receberam reforma nos pisos vinílicos, repousos técnicos médico e de enfermagem, mudança na estrutura física de paredes e a aquisição de diversos equipamentos, como focos cirúrgicos móveis e de teto com tecnologia a LED, camas fawler elétricas, torres de vídeo, mesas cirúrgicas, bisturis elétricos, lavadoras ultrassônicas, termodesinfectadora, dentre outros.

“Este foi o maior avanço no centro cirúrgico da FCecon nos últimos anos. Reformamos as nove salas cirúrgicas e readequamos a nossa CME seguindo os padrões da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). É um impacto positivo no serviço”, afirmou Marco Antônio Rocha, diretor técnico da FCecon.

Complexidade e protocolos

Atualmente, a FCecon oferta cirurgias nas especialidades de cirurgia pélvica, abdominal, neurologia, mastologia, ginecologia, vascular, pediatria, plástica, torácica, ortopedia, urologia e cabeça e pescoço.

Mais da metade das cirurgias realizadas são de grande porte, contando com uma equipe multiprofissional de cerca de 50 profissionais no setor diariamente, entre cirurgiões, técnicos de enfermagem, enfermeiros, anestesistas, auxiliares, instrumentadores, serviços gerais e administrativos.

Todo o processo cirúrgico segue critérios e protocolos de segurança. “Trabalhamos com o protocolo de cirurgia segura, que é o que assegura todo o procedimento desde a entrada até a saída do paciente do centro cirúrgico, com a checagem de todos os dados”, destaca a gerente do centro cirúrgico, enfermeira Graça Gondim.

O protocolo tem o objetivo de assegurar a devida identificação do paciente, assim como o local cirúrgico certo. O protocolo também busca evitar o risco de infecções no sítio cirúrgico.

Em 2023, ações de educação permanente também foram ampliadas, com capacitações que contribuíram para aprimorar as habilidades e conhecimento da equipe, segundo Gondim.

Publicidade TCE
Publicidade UEA
Publicidade CMM

Mais Recentes