Ir para o conteúdo

Homem que abrigou fugitivos de Mossoró revela o que pediram os bandidos

Confira as exigência que os procurados fizeram depois de fugir

O morador afirmou que os fugitivos pareciam estar bem informados.

Após fugirem da Penitenciária Federal de Mossoró, os detentos Deibson Cabral e Rogério da Silva encontraram refúgio por sete dias em uma família na zona rural de Baraúna (RN), onde renderam os moradores e receberam abrigo.

De acordo com relatos à polícia, os fugitivos surpreenderam o morador durante a madrugada de 17 de fevereiro, arrombando a porta de sua casa, onde ele estava com sua companheira. Apesar do susto, a família não foi ferida e os criminosos exigiram colaboração, sugerindo que não haveria violência se suas ordens fossem seguidas.

O morador afirmou que os fugitivos pareciam estar bem informados sobre a família e alegaram que estavam sendo observados, incentivando o medo na vítima. Durante os sete dias de cativeiro, o morador era instruído a comprar alimentos diariamente e deixá-los sob uma árvore no terreno, sem ter contato direto com os fugitivos.

Os procurados

Deibson e Rogério construíram um esconderijo na mata para se proteger de drones de busca, onde passavam as noites. Após uma semana de cativeiro, o morador, em uma barreira policial na sexta-feira (23), relatou o ocorrido, resultando em sua detenção temporária e depoimento às autoridades. Ele alegou ter colaborado com os fugitivos devido a ameaças recebidas.

Após a denúncia do morador, as investigações apontaram para três suspeitos de auxiliarem na fuga, dos quais três foram presos até o momento. O Ministério da Justiça e da Segurança Pública realizou nove mandados de busca e apreensão em Mossoró, Quixeré (CE) e Aquiraz (CE) contra indivíduos supostamente envolvidos no apoio aos fugitivos.

Publicidade TCE
Publicidade CIESA
Publicidade UEA

Mais Recentes