Ir para o conteúdo

INDT apresenta ao público avanços em P&D na ExpoAmazônia Bio&TIC

Visitantes terão acesso a soluções em robótica, internet 5G, segurança cibernética, automação e sustentabilidade

As ações e os resultados de estudos conduzidos por especialistas do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) serão demonstrados na segunda edição da ExpoAmazônia Bio&TIC, que ocorrerá entre os dias 28 e 30 de novembro, das 14h às 20h, em Manaus. Promovido pela Associação do Polo Digital de Manaus (APDM) e instituições apoiadoras, o evento reúne profissionais, empresas privadas e entes governamentais no diálogo sobre as possibilidades de incentivo à bioeconomia e as inovações na região Norte.

Sob o conceito ‘Sustentabilidade, Tecnologia e Inovação’, os visitantes que comparecerem ao estande do Instituto poderão interagir com alguns dos equipamentos expostos e conhecer as aplicações do INDT em frentes de pesquisa como inteligência artificial, robótica, automação, transporte autônomo, conectividade, cibersegurança, biotecnologia e ESG,  além do suporte a projetos de desenvolvimento econômico local.

A tríade e a simulação de ataque cibernético

No espaço do INDT, o público poderá conhecer dois robôs e uma empilhadeira que operam com tecnologia 5G, tendo como principal diferencial a segurança e eficiência. Um desses é o ‘AMR Forklift’, que realiza, de forma autônoma, o transporte de paletes. Outro item, o ‘AMR Jacking’, pode realizar a elevação e o fluxo dos materiais e ainda atuar em conjunto com robôs colaborativos. Todos eles fazem parte de uma gama de soluções customizadas que o INDT pode desenvolver para agregar valor em variados processos. Um dos responsáveis pelo setor, o Product Owner Gledyson Cidade, indica como será a apresentação dos produtos.

“O ‘braço robótico’ [robô] ficará em uma bancada em cima de um palete e o ‘Forklift’ irá transportar o palete com o ‘braço robótico’ em uma determinada área do estande. O ‘Jacking’ irá se movimentar pelos corredores próximos, e, em determinados momentos, irá interagir com ataques cibernéticos simulados pelo time da TI. Nesses ataques o AMR irá disparar sons característicos e movimentar fora do padrão de apresentação”, explica.

Em outra exposição, os visitantes do evento irão acompanhar simulações de ensaios de interferência eletromagnética. “A amostra fica submetida a uma simulação de funcionamento na rede elétrica, e sendo monitorada pelo equipamento, é possível analisar se ela está dentro da faixa de tolerância aceitável conforme normas internacionais de produtos eletroeletrônicos”, explica o gerente dos laboratórios do INDT, Jefferson Silva.

Haverá ainda a apresentação dos recursos de uma novidade recém-implementada nas dependências do INDT: a rede privativa 5G para a Indústria. Entre os benefícios, a rede garante  alta transferência de dados com baixa latência, permitindo que aplicações mais robustas com foco nos conceitos da Indústria 4.0 sejam implementadas, além de oferecer mais segurança e flexibilidade para mudanças no layout das linhas de produção.

O gerente técnico do Instituto, Sérgio Abreu, destaca que o contato do público, na prática, com essas aplicações permitirá melhorar resultados no dia a dia. “

O 5G privativo já é realidade, acessa os recursos mais avançados e resolve os principais problemas de conectividade para a manufatura. Precisamos juntar forças para disseminar o uso destas tecnologias e melhorar a competitividade de nossa indústria local”, enfatiza.

Durante a ida ao estande do INDT, o visitante poderá ainda conferir as iniciativas em energia solar promovidas pela empresa Schneider, parceira do Instituto.

Apoio institucional

De acordo com o diretor-executivo do INDT, Geraldo Feitoza, a participação do centro de pesquisa na ExpoAmazônia Bio&TIC sinaliza o propósito do Instituto no apoio ao desenvolvimento socioeconômico da região.

“Estamos levando um conjunto de soluções e possibilidades tecnológicas que podem ser aplicadas nos mais variados processos produtivos. O INDT está de portas abertas a todos os empreendedores que tenham interesse em inovar para potencializar seus resultados e promover maiores benefícios para a Amazônia. Vale ressaltar que, o INDT, como uma Unidade Embrapii, facilita o acesso a recursos não reembolsáveis para projetos que tenham como característica alguma inovação tecnológica”, comenta.

Publicidade BEMOL
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade UEA

Mais Recentes