Ir para o conteúdo

Justiça determina que sobrinha que levou tio morto à agência bancária seja solta

Érika deverá cumprir medidas cautelares, conforme determinação da Justiça

Érika foi presa em flagrante no dia 16 de abril

A Justiça do Rio determinou que Érika Souza Vieira Nunes, de 42 anos, seja solta. Ela foi presa em flagrante no dia 16 do mês passado após levar o tio já morto a uma agência bancária para obter um empréstimo, em Bangu, na zona Oeste do Rio de Janeiro.

Na última quarta-feira, ela foi denunciada pelo Ministério Público do Rio (MPRJ) pelos crimes de tentativa de estelionato e vilipêndio de cadáver. Érika está detida no presídio Djanira Dolores, também em Bangu.

Na decisão, a juíza Luciana Mocco, titular da 2ª Vara Criminal de Bangu, atendeu a um pedido da defesa de Érika e revogou a prisão preventiva. Os advogados dela alegaram que Érika é ré primária, tem endereço fixo, além de ter a saúde mental debilitada. Disse também que Érika tem uma filha menor de idade com deficiência que requer seus cuidados em casa.

A magistrada determinou, porém, que Érika cumpra medidas cautelares, tais quais: comparecer mensalmente ao cartório do juízo para informar suas atividades ou eventual alteração de endereço; em caso de internação devido a um tratamento para saúde mental, a Justiça também deverá ser comunicada; e está proibida de se ausentar da comarca por prazo superior a sete dias.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes