Ir para o conteúdo

Militares do Exército são presos em garimpo ilegal no Amazonas

Nos barracos havia TVs, internet, mobília, combustíveis e muito armamento, além de máquinas pesadas para realizar a extração.

Cinco homens, entre eles dois militares do Exército, foram presos e 34 acampamentos de garimpeiros ilegais foram destruídos durante uma operação realizada pela Força Nacional e agentes do Instituto Chico Mendes, no sul do Amazonas.

Os barracos estavam firmados dentro da Floresta Nacional de Urupadi, localizada no município de Maués, e cerca de 50 garimpeiros já tinham se estabelecido ali e realizavam a exploração de ouro.

Nos barracos havia TVs, internet, mobília, combustíveis e muito armamento, além de máquinas pesadas para realizar a extração.

Os invasores já tinham devastado mais de 50km²  e já tinham construído até duas pistas de pouso para facilitar a entrada de aviões na área.

O alto investimento chamou a atenção das autoridades e a investigação quer saber se empresários estão envolvidos no esquema de garimpo ilegal.

Segundo a Rede Globo, sobre os militares presos, o Exército confirmou que eles pertencem à corporação e serão responsabilizados.

Todos os barracos encontrados foram imediatamente destruídos e o maquinário apreendido. Os presos responderão criminalmente, mas também terão que pagar multa no valor de R$ 3,6 milhões. A operação que acontece há cinco dias deve continuar.

Publicidade BEMOL
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade UEA

Mais Recentes