Ir para o conteúdo

MPAM recomenda que PC-AM impeça Débora Menezes de fazer uso político das ações policiais

MPAM investiga se a deputada estadual fez uso político de ações do sistema de segurança pública do Amazonas

Participação da deputada em coletivas de imprensa está sendo apurada

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) recomendou ao delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Bruno Fraga, que impeça agentes públicos de fazerem uso político das ações da policiais. A notificação é assinada pelo promotor Armando Gurgel Lima, da 60ª Proceap (Promotoria de Justiça Especializada no Controle Externo da Atividade Policial e Segurança Pública), que foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (28).

De acordo com a publicação, a recomendação ocorre no sentido de proibir qualquer promoção social, ainda que de fato tenham, de qualquer forma, os agentes públicos tenham colaborado com a instituição policial para a realização de alguma operação ou ação, "o que deve ocorrer dentro do espírito público na medida em que órgãos públicos não podem e não devem atender objetivos de promoção pessoal". Estabelecendo, assim, a isonomia da PC-AM.

A recomendação considera as apurações preliminares que demonstram a participação "renitente e confirmam a presença marcante, destacada e inusitada" da deputada Débora Menezes, em diversas entrevistas coletivas referentes a ações da Polícia Civil em casos de grande repercussão envolvendo crimes sexuais contra crianças e adolescentes, inclusive compondo a bancada de autoridades entrevistadas. Fatos que levaram Delegada Joyce Coelho colocar o cargo à disposição da Administração da PCAM, sob afirmação de interferência política.

O promotor orienta que o setor de assessoria de imprensa exclua dos atos de divulgação das ações "quaisquer terceiros que não sejam das forças policiais ou de outros órgãos públicos que tenham participado".

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes