Ir para o conteúdo

PIM fatura mais de R$ 115 bilhões nos oito primeiros meses de 2023

Quanto à mão de obra, as indústrias do PIM fecharam o mês de agosto com 111.396 trabalhadores empregados

As exportações atingiram o volume de R$ 1,96 bilhão

O Polo Industrial de Manaus (PIM) obteve um faturamento nominal acumulado de R$ 115,03 bilhões nos oito primeiros meses de 2023, o que representa um decréscimo de 0,20% em comparação ao valor alcançado de janeiro a agosto do ano passado (R$ 115,2 bilhões). Em dólar, o faturamento acumulado até agosto deste ano foi de US$ 23.02 bilhões, um incremento de 0,81% em relação ao mesmo intervalo de 2022 (US$ 22.88 bilhões).

Os dados, parciais, fazem parte dos Indicadores de Desempenho do PIM e revelam também que as exportações atingiram o volume de R$ 1,96 bilhão (U$ 392.8 milhões), significando aumento de 0,77% em moeda nacional e de 1,98% em dólar, na comparação até o oitavo mês do ano deste ano com o mesmo período do ano anterior.

Quanto à mão de obra, as indústrias do PIM fecharam o mês de agosto com 111.396 trabalhadores empregados, entre efetivos, temporários e terceirizados. O valor representa decréscimo de 0,25% em relação a julho, quando havia 111.673 vagas ocupadas. Desde outubro de 2020, o PIM mantém marca mensal superior a 100 mil empregos. No acumulado do ano, até agosto, a média mensal de empregos ficou em 111.513 postos, o que representa um crescimento de 0,48% ante a média mensal relativa ao ano de 2022 (110.981). Até o oitavo mês de 2023 ocorreram 23.981 admissões e 23.014 demissões, perfazendo o saldo de 967 vagas.

O polo de Bens de Informática faturou R$ 28,4 bilhões (US$ 5.69 bilhões) até agosto e segue sendo, desde 2020, a maior participação no resultado global de faturamento do PIM, respondendo por 24,77% (24,74% em dólar) do total. Em seguida estão os segmentos de Eletroeletrônico (R$ 21,6 bilhões e US$ 4.34 bilhões), com 18,84% e Duas Rodas (R$ 20,5 bilhões e US$ 4.11 bilhões), com 17,88% de participação em moeda nacional.

Dos 26 subsetores monitorados pelos Indicadores do PIM, 12 apresentaram crescimento na comparação (em moeda nacional) do faturamento acumulado até o oitavo mês de 2023 com o mesmo intervalo de 2022. Em termos percentuais destacam-se os incrementos observados nos segmentos de Mineral não metálico (116,56%; em dólar: 122,24%); Vestuário e calçados (69,16%; em dólar: 70,80%); Editorial gráfico (23,25%; em dólar: 24,05%); e o setor de Duas Rodas (22,27%; em dólar: 23,03%).

Bosco Saraiva é o atual superintendente da Suframa

Produtos
Entre os produtos que apresentaram elevação relevante de produção no acumulado até agosto, em relação ao mesmo período do ano anterior, destacam-se: receptor de sinal de televisão (138,37%); condicionador de ar janela ou de parede corpo único (66,55%); microcomputador desktop (49,71%); unidade evaporadora para split system (39,15%); e televisor com tela LCD ou oled (30,47%).

Em termos de volume de faturamento apresentado, os principais produtos fabricados pelo PIM de janeiro a agosto de 2023 foram: motocicleta, motoneta e ciclomotores (US$ 3.2 bilhões e R$ 16,4 bilhões); televisor com tela de cristal líquido e oled (US$ 2.81 bilhões e R$ 14,02 bilhões); telefone celular (US$ 2.04 bilhões e R$ 10,2 bilhões); placa de circuito montada para uso em informática (US$ 1.43 bilhão e R$ 7.16 bilhões); condicionador de ar do tipo split system (US$ 1 bilhão e R$ 5,02 bilhões); e forno micro-ondas (US$ 258.8 milhões e R$ 1,28 bilhão).

Análise
O superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, avalia que os indicadores do PIM refletem a percepção da queda de 0,77% em agosto em relação ao mês anterior da atividade econômica brasileira, apurada no Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) e as dificuldades de suprimentos de insumos e escoamento da produção, em consequência da estiagem no Amazonas.

“Temos a expectativa de números melhores nos próximos meses, em resultado da tendência de redução da taxa básica de juros por parte do Copom, iniciada no mês de agosto. Decisão que pode se refletir na recuperação da capacidade de consumo das famílias. Além disso, a estabilização dos níveis dos rios, obras de dragagem em pontos críticos e sinalização de reversão gradual dos severos efeitos da estiagem devem contribuir positivamente com a normalização da produção no PIM”, avaliou.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes