Ir para o conteúdo

Tropa de choque está em Manicoré após invasão em hospital e na casa do prefeito

A equipe é composta por oito agentes, sendo um capitão, quatro sargentos e três cabos. Os militares estão sob o comando do capitão Augusto Leite

O Batalhão de Choque da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) desembarcou em Manicoré (a 332 quilômetros de Manaus), na quinta-feira (7), após a casa do prefeito Lúcio Flávio (PSD) e o hospital da cidade terem sido depredados.

Os atos de vandalismo foram causados por familiares e amigos dos pais de um recém-nascido que morreu após sofrer complicações pós-parto. O bebê, com menos de um dia de vida, faleceu enquanto era transferido para Manaus em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea de emergência.

A equipe é composta por oito agentes, sendo um capitão, quatro sargentos e três cabos. Os militares estão sob o comando do capitão Augusto Leite.

Em nota, a PMAM informou que o envio do Batalhão de Choque como forma de dar apoio aos policiais que já atuam no município, após as depredações acontecerem.

Além do reforço do policiamento militar, a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) vai instaurar um inquérito policial para apurar se houve negligência por parte do médico responsável pelo parto da criança.

Conforme a PC-AM, será investigado a prática de crimes de dano simples e qualificado praticados contra a residência do prefeito e o hospital.

Vandalismo
Após o sepultamento do recém-nascido na segunda-feira (4), manifestantes foram para frente da casa do prefeito e um familiar bateu com o carro no portão do imóvel. Em seguida, as pessoas que participavam do ato entraram na residência e danificaram a estrutura e alguns objetos. O prefeito não estava no local.

Em imagens de câmeras de seguranças de dentro do Hospital Regional Dr. Hamilton Maia Cidade, é possível ver vidros quebrados e portas arrancadas.

Publicidade TCE
Publicidade CIESA
Publicidade UEA

Mais Recentes