Ir para o conteúdo

Vídeo: Casa de prefeito e hospital são destruídos após morte de bebê em Manicoré

Veja como ficou a casa do prefeito com a população enfurecida no interior do Amazonas.

Prédios foram destruídos pela população enfurecida

A morte de um recém-nascido após sofrer complicações no parto levou a uma revolta de moradores e familiares de Manicoré que acabaram depredando a casa do prefeito do município e o Hospital Regional Dr. Hamilton Maia Cidade, na quarta-feira (6). A matéria é do i13News.

De acordo com as informações na nota emitida pela secretaria de saúde de Manicoré, o bebê com menos de um dia de vida não resistiu a transferência em uma UTI aérea de emergência que estava transferido a criança para Manaus.

Com a notícia da morte, a família do recém-nascido alegou negligência médica e que a prefeitura demorou para prestar assistência. Vídeos que circulam nas redes mostram as pessoas invadindo a casa do prefeito de Manicoré, Lúcio Flávio.

A estrutura da casa e outros móveis e objetos foram depredados. A polícia foi acionada para isolar a área e conter a população. A Secretaria de Saúde de Manicoré explicou na nota como se deu o parto e o tratamento do recém-nascido.

Nota da Secretaria de Saúde de Manicoré

Segundo a secretaria, no domingo (3), a mãe do bebê deu entrada às 11h, no Hospital Hamilton Maia Cidade e, segundo a paciente, ela estava com perda de líquido desde às 7h do mesmo dia.

A mulher foi atendida e avaliada. A equipe médica constatou que ELA ainda não estava em trabalho de parto. Porém, a paciente oi submetida a uma ultrassom com Doppler de umbilical que verifica o oxigênio e os batimentos cardíacos do bebê.

Após o exame, os médicos constataram que o bebê estava com os parâmetros normais. A mãe do bebê ficou internada para acompanhar a evolução do parto.

Às 20h45 ainda do domingo (3), a equipe médica recomendou uma cesariana pelas circunstâncias. Na nota, a secretaria não informou quais eram as circunstâncias de emergência.

O bebê nasceu com algumas complicações e os médicos realizaram os trabalhos para estabilizar a saúde do recém-nascido. A Secretaria de Saúde de Manicoré disse que foi solicitado a UTI aérea de emergência, a qual foi aceita e respondido que viria na manhã da segunda-feira (4).

Já na segunda-feira (4), a secretaria explicou que o bebê teve uma piora no quadro de saúde e mais uma vez os médicos precisaram realizar as tentativas de estabilização.

A saúde do bebê foi estabilizada, porém, no início da manhã de segunda, o recém-nascido teve novamente uma piora progressiva no quadro de saúde.

Às 11h, o paciente foi levado até o aeroporto e nesse caminho foi necessário em torno de duas horas para estabilização do recém-nascido. Entretanto, conforme a Secretaria de Saúde de Manicoré , mesmo com padrões de instabilidade, o recém-nascido não conseguiu chegar até o destino e morreu no trajeto.

Ainda em nota, a secretaria disse que também está de luto com os familiares do bebê e pediu respeito nesse momento. Além disse, o órgão informou que as pessoas envolvidas nas depredações serão identificadas e responderão diante da Justiça.

Publicidade TCE
Publicidade CIESA
Publicidade UEA

Mais Recentes