Ir para o conteúdo

William Alemão entra com representação no MPE-AM contra o prefeito de Manaus

O vereador William Alemão justifica a representação pelo fato do prefeito usar recursos do município para pintar prédios públicos, praças, carros e caminhões

Vereador William Alemão

O líder do Cidadania na Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador William Alemão (Cidadania) ingressou com representação contra o prefeito de Manaus no Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM). A motivação é para combater, segundo ele, mais uma improbidade administrativa da gestão do atual prefeito da cidade, que infringe o princípio da impessoalidade, legalidade e moralidade, o que configura improbidade administrativa.

O vereador William Alemão justifica a representação pelo fato do prefeito usar recursos do município para pintar prédios públicos, praças, carros e caminhões e, assim, imprimir a sua marca pessoal e do partido -Avante- na cidade de Manaus. Em novembro do ano passado, o vereador ingressou com uma representação com o mesmo teor no Tribunal de Contas do Estado, que está sob relatoria do conselheiro Luis Fabian Pereira Barbosa.

“A prática configura a promoção pessoal e campanha eleitoral precipitada pois, desde o início da gestão, o prefeito vem se empenhando em deixar registrado, às vistas de todos, de forma ampla e irrestrita, sob várias formas a sua marca pessoal. Se você olhar o manual de identidade visual da Prefeitura de Manaus, as cores da Prefeitura agora são laranja, verde esmeralda e roxo, coincidentemente, quase as mesmas cores do partido Avante, que são laranja e verde esmeralda.”, explica o vereador.

Alemão critica idientidade visual

Prática é discutida

É recorrente na história do Brasil que todo administrador público no cargo de Chefe do Executivo (de qualquer esfera), queira deixar uma marca registrada para que seja lembrado. Não raras vezes, esse mecanismo de “lembrança” é feito de forma indevida para se fazer marcado e presente na memória e à vista das pessoas, notadamente para beneficiar-se em época eleitoral, com finalidade de manter certa hegemonia política, até mesmo à formação de grupos que buscam se manter no poder, em claro detrimento ao interesse público.

No Amazonas não é diferente. Por muitos anos fomos governados por grupo político que, para deixar gravados seus feitos, fazia insculpir nas obras enormes marcas. Quem viveu o nascimento da Constituição Federal de 1988, época de surgimento de regras e princípios norteadores da boa prática administrativa, com finalidade pública, deve lembrar da figura da “abelhinha” de Amazonino Mendes ou do “timão” e do “boto” de Gilberto Mestrinho, duas pessoas, para muito representantes do coronelismo, mas significativas na história recente de Manaus e do Amazonas.

O Brasil mudou, as Leis ganharam nova roupagem, a própria Constituição Federal determinou princípios que norteiam a conduta dos servidores públicos de qualquer natureza, principalmente os agentes políticos, entretanto o Prefeito denunciado continua a agir como se estivéssemos no século passado.

Caminhão caracterizado

A força da Imagem

A Identidade visual pode ser considerada o cartão de visitas de uma empresa e reúne elementos gráficos que têm o objetivo de comunicar ao público a ideia, os valores, os propósitos e a missão de marcas ligadas a produtos e/ou serviços.

O nome, o slogan ( frase), cores e tipografia compõem a identidade visual e são extremamente importantes para um produto e/ou um político, pois trazem símbolos e cores que ficam gravados no consciente coletivo. A prova disso é que muitos vídeos publicitários feitos para divulgar determinadas marcas, muitas vezes só citam a empresa no final e trabalham a marca por meio da identidade visual e das paletas de cores, como por exemplo o Banco Itaú e o refrigerante Coca-Cola, que já fizeram vários vídeos publicitários em que os tons de laranja e vermelho falam sobre a marca, antes que os símbolos apareçam.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes