Ir para o conteúdo

Amazonas figura em ranking de estados que menos gastam com pessoal; veja

Hoje, o governo do Amazonas tem 81.172 servidores ativos.

Wilson Lima, governador do Amazonas

Dados do Ranking de Competitividade dos Estados, edição 2023, sobre a média de gastos com pessoal em relação à Receita Corrente Líquida (RCL) coloca o Governo do Amazonas em segundo lugar no Brasil. O estudo foi promovido e divulgado pelo Centro de Liderança Pública (CLP). O Amazonas está em 48,11%, atrás do Espírito Santo, em 1º lugar com 46,06% de utilização da receita para gastos com pessoal. Hoje, o governo do Amazonas tem 81.172 servidores ativos.

Tema central para os governos estaduais, a média do gasto com pessoal em relação à Receita Corrente Líquida caiu de 64,2% em 2020, para 55,6% em 2023, segundo o estudo. A queda observada indica reformas administrativas nos estados e uma preocupação com a saúde das contas públicas. As informações podem ser conferidas no site https://rankingdecompetitividade.org.br/.

O governador Wilson Lima disse que o resultado demonstra o comprometimento com a população do Amazonas. “Neste mesmo ranking, de forma geral, subimos duas posições em relação a 2022, ocupando a 14ª colocação. Crescemos nos pilares de Segurança Pública, Inovação, Sustentabilidade Ambiental e Eficiência da Máquina Pública. Temos demonstrado solidez fiscal”, destacou Wilson Lima.

“Apesar de todas as lutas, temos trabalhado arduamente para manter o Estado do Amazonas responsável em seus gastos públicos, em especial nos gastos com pessoal”, destaca Fabrício Barbosa, titular da Secretaria de Administração e Gestão (Sead). Em estudo divulgado pela Folha de São Paulo, realizado pelo economista Felipe Drumond, consultor da República.org, destaca o mapa nacional de despesas com pessoal. Nele, mostra que os inativos fazem pressão especialmente nos estados mais antigos, como também onde há concentração populacional e maior demanda por serviços públicos. Cita como exemplo, que no Sudeste, os servidores aposentados já respondem por quase metade do gasto com pessoal.

CLP

Fundado em 2008, o Centro de Liderança Pública (CLP) desenvolve líderes públicos empenhados em promover transformações sociais por meio da eficácia da gestão e da melhoria da qualidade das políticas públicas.

O Ranking de Competitividade dos Estados foi concebido pelo CLP, em 2011, com o desenvolvimento técnico a cargo da Economist Intelligence Unit, com o intuito de gerar diagnósticos e direcionamentos para a atuação dos líderes públicos estaduais. Em 2015, em sua quarta edição, o trabalho passou a contar também com a contribuição técnica da Tendências Consultoria Integrada.

A partir da edição de 2021, o Ranking passou a ser concebido apenas pela Tendências. Em sua concepção atual, o ranking possibilita identificar, dentro de cada um de seus 10 pilares temáticos, quais são os pontos fortes e fracos que influenciaram a classificação final do Estado em cada um dos indicadores contemplados.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes