Ir para o conteúdo

Caso Djidja: Justiça concede prisão domiciliar para maquiadora

A conversão da prisão ocorreu devido ao fato de ela ter um filho de dois anos, que ainda está na fase de amamentação

Claudiele foi presa no dia 30 de maio, após a Operação Madrágora

Claudiele Santos da Silva, 34, maquiadora do salão da família de Djidja Cardoso, teve a prisão preventiva convertida em domiciliar na tarde desta quarta-feira (5) pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM). Ela foi presa no dia 30 de maio, após a Operação Madrágora.

Segundo a decisão, a conversão da prisão ocorreu devido ao fato de ela ter um filho de dois anos, que ainda está na fase de amamentação.

A maquiadora deverá ser monitorada por tornozeleira eletrônica e não poderá sair do endereço registrado no TJAM como sua residência.

O advogado Kevin Teles informou que deve buscá-la no Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) ainda hoje.

Operação

Claudiele Silva foi uma das presas durante a Operação Mandrágora, que investiga uma suposta seita religiosa "Pai, Mãe, Vida", que usava drogas do tipo ketamina e influenciava pessoas a consumi-las. De acordo com a investigação, Claudiele é uma das responsáveis por distribuir a droga de uso veterinário para a família Cardoso.

No dia 30 de maio, ela se apresentou ao 1º Distrito Integrado de Polícia, acompanhada do advogado, onde prestou depoimento.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes