Ir para o conteúdo

Coletivo Nupramta lança série ‘Manda Brasa’ nas plataformas digitais

Estreia compõe projeto de três novas experimentações artísticas do grupo

Núcleo de Práticas Meditativas no Treinamento do Artista surgiu em 2015

No dia 31 de dezembro estreia, nas plataformas digitais, a série “Manda Brasa”, do Coletivo Nupramta (Núcleo de Práticas Meditativas no Treinamento do Artista). O lançamento compõe projeto de três novas experimentações artísticas do grupo, que conta também com o espetáculo “Cê Virou Planta”, em parceria com a Soufflé de Bodó Company; e a performance “A Vaca”.

“As três obras abrangem vivências de diferentes realidades do Norte do País, com experiências urbanas e periféricas, além do olhar estrangeiro de artistas migrantes. Essas ancestralidades, indígenas, caboclas, pretas e coloniais, se misturam com as múltiplas expressões de gênero e sexualidade presentes no coletivo”, explica Vanja Poty, coordenadora do grupo.

Segundo Vanja Poty, nesse contexto, as afetividades são abordadas a partir dos aspectos multiculturais e com foco na ditadura da beleza, o que reflete especificidades e afeta os corpos na construção de identidades e, consequentemente, na maneira de se relacionar.

“O projeto busca investigar fagulhas do que chamamos de brasilidade e de um dito Brasil homogêneo, contrapondo a determinação eurocêntrica na construção dos afetos contemporâneos”, comenta a coordenadora.

Obras

A primeira parte da série apresenta entrevistas com artistas como Andira Angeli, Francis Madson, Elisa Maia, Karol Medeiros e Rafael César. O “Manda Brasa” vai ser exibido no site nupramta.art e no canal do grupo no Youtube (@nupramta1874).

Conforme Victor Kaleb, que assina roteiro, direção e edição da série, os experimentos pesquisam a linguagem cênica com as tecnologias audiovisuais e utilizam o hibridismo para mergulhar no percurso de construção das afetividades amazônidas por meio do estudo de decolonialidade. Ele destaca que o movimento propõe transformações entre os que estão no projeto e o público que deve ser alcançado.

“Não fomos criados para entender nossas relações nos diversos campos da vida e nem a consentir o que desejamos e o que desejam de nós. Não elaboramos bem nossas vontades e temos dificuldades de dizer não para muitas coisas que estão fora do nosso campo de afetos”, avalia o diretor audiovisual. “Em ‘Manda Brasa’, um ciclo de entrevistas com pessoas diversas, tentamos nos debruçar com nossas experiências e perspectivas sobre o tema ‘Desejo e Consentimento’”.

Na ficha técnica do projeto, Vanja Poty está na coordenação e produção, Thaís Vasconcelos, da Agencinha, como Design, e Lukas Macedo, Túlio Dellacante, Sophia Calandrini, Thayná Liartes e Yas Lobo na equipe de estagiários.

Em 2024, o espetáculo “Cê Virou Planta”, com a Soufflé de Bodó Company, estreia no dia 25 de janeiro, enquanto a performance “A Vaca” vai ser lançada em 29 de fevereiro.

Nupramta

O Núcleo de Práticas Meditativas no Treinamento do Artista surgiu em 2015, com docentes e egressos do Curso de Teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

A Nupramta traz a investigação acerca do treinamento do artista da cena como eixo central. Durante a pandemia, o grupo intensificou o diálogo entre a performatividade e o audiovisual nas obras.

Publicidade TCE
Publicidade CIESA
Publicidade UEA

Mais Recentes