Ir para o conteúdo

Filha de Silas Câmara e Antônia Lúcia acusa a mãe de sequestrar as netas

Em postagem em uma rede social, Gabriela acusa a mãe de manter as duas filhas dela em cárcere privado

Silas Câmara com a filha Gabriela Câmara e a mãe Antônia Lúcia
Silas Câmara com a filha Gabriela Câmara e a mãe Antônia Lúcia

A presidente do Instituto de Terras do Acre (Iteracre), Gabriela Câmara, se posicionou nesta quinta-feira (7) sobre as acusações que a mãe dela, a deputada federal Antônia Lúcia (Republicanos), fez contra seu marido, Cristian Sales, e o sogro, o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), Manoel Moraes. A matéria foi publicada na noite do dia 7 de dezembro pelo G1.

Em postagem em uma rede social, Gabriela, filha do deputado federal pelo Amazonas, Silas Câmara, acusa a mãe de manter as duas filhas dela em cárcere privado. "Estou impossibilitada de ver minhas filhas desde o início do corrente ano, decorrente do ciúme possessivo de minha mãe, que atualmente as mantém em cárcere privado", afirma.

A publicação foi feita após a deputada ir às redes sociais fazer novas acusações contra o genro e o deputado Manoel Moraes. Ela voltou a alegar que o genro está envolvido em casos de abuso sexual e violência contra as próprias filhas e que o deputado estadual estaria apoiando as práticas.

Após a postagem da mãe, Gabriela Câmara se manifestou publicamente e disse que possui a guarda unilateral das filhas, mas que a deputada segue com as crianças. Ela afirma ainda que as acusações feitas pela mãe são para esconder o cárcere privado das crianças.

O g1 tentou contato com a assessoria da deputada federal Antônia Lúcia, mas não teve retorno.

"Faz 8 meses que estamos sofrendo esses ataques impiedosos. Evitei me manifestar publicamente porque os ataques partiram de minha mãe, deputada federal Antônia Lúcia, com objetivo de atingir a minha atividade pública e o governo a que eu estou servindo com imensa honra, referente a sua mais importante política pública de Regularização Fundiária, garantindo Justiça social. Não queria expor a intimidade da minha família, mesmo porque sei dos problemas psicológicos quem nos ataca. Essa situação parte de uma pessoa desequilibrada que faz o uso de elevadas doses de medicamentos psicotrópicos. Em verdade, toda essa história fantasiosa busca esconder apenas uma situação: o sequestro de minhas filhas", afirmou.

Ela fez o desabafo pelas redes sociais

A presidente do Iteracre diz que o marido é inocente e já buscou os meios judiciais contra a mãe.

"Somos vítimas. Cristian é inocente, tudo isso está acontecendo somente pelo fato de acreditar e contribuir em um projeto político de um grupo que não é o da preferência da deputada federal Antônia Lúcia. A legítima titular da guarda de minhas filhas, por sentença judicial, é unilateralmente minha. Portanto, elas foram sequestradas. No mais, já estamos tomando as medidas judiciais cabíveis, em breve tudo se solucionará e a justiça será feita", diz.

A deputada não se posicionou sobre as declarações da filha.

Na foto, a deputada federal Antônia Lúcia; deputado estadual Manoel Moraes; Gabriela Camara; e Cristian Sales — Foto: Arquivo pessoal

A deputada federal Antônia Lúcia (Republicanos) usou suas redes sociais, na terça-feira (5), para fazer sérias acusações contra o genro, Cristian Sales, filho do deputado estadual Manoel Moraes, líder do governo. Ela alega que Sales está envolvido em casos de abuso sexual e violência contra suas netas.

A deputada federal e pastora anunciou que vai levar o caso ao conselho de ética da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), à Polícia Civil e Polícia Federal. Em suas declarações, ela acusa Manoel Moraes de ameaçar sua integridade e de “apoiar pedófilo”, referindo-se ao filho dele.

“Deputado líder do governo Manoel Morais não me ameace. O pau que bate em Chico bate em Francisco. Suas palhaçadas já foram longe demais. Não sou seus peões para vossa excelência bater o pé e eles correm com medo, porque segundo vossa excelência quem manda em Xapuri é o deputado coronel Manoel Morais. E até na hora de ganhar as licitações é o Manoel Morais quem manda, quem decide. Aviso ao deputado se cair um fio do meu cabelo, foi vossa excelência ou os seus capangas. Apoiador de pedófilo, sujo. Porque sou mulher vossa excelência pensou em usar de seus truques? ‘pelo meu filho, morro, mato ou mando matar’. Recebi esse recado por dois grandes homens. Respondo a altura: não mexa com minhas crianças”, publicou Antônia Lúcia.

Moraes, por sua vez, respondeu às acusações alegando que tudo faz parte de uma longa briga familiar entre Antônia Lúcia e sua filha Gabriela, visando a guarda das netas. Em nota, ele afirmou que a deputada teria agido de forma obscura, levando as crianças para Brasília sem autorização e forjando acusações contra seu filho.

“Ao longo dessa disputa entre mãe e filha, a Deputada Federal Antônia Lúcia já se utilizou anteriormente dos mais diversos tipos de artifícios e subterfúgios para conseguir seu objetivo insano de ficar com a guarda das crianças. No início desse ano, a desavença se agravou e chegou a patamares inimagináveis por parte da Deputada Federal Antônia Lúcia, que, sem a autorização da Gabriela, tirou as crianças do convívio da mãe, levando-as de forma sorrateira para morar em Brasília”, declarou o deputado.

Silas e Antônia Lúcia

Ainda conforme Moraes, quando a filha de Antônia Lúcia acionou as autoridades para comunicar a situação, a deputada federal teria “criado” a acusação contra seu filho, forjando provas e pagando testemunhas.

Antônia Lúcia, em resposta à nota de Moraes, apresentou esclarecimentos sobre o processo, dizendo que laudos teriam comprovado a suposta violência doméstica e defendendo a legalidade da viagem das crianças para Brasília, com a autorização dos pais.

"O laudo sobre as violências domésticas, das quais uma terrivelmente atingiu em cheio a perna da minha neta de 3 anos, foi periciado e diagnosticada a violência, também só obtivemos o conhecimento do laudo no dia de hoje (05/12), e o pai infelizmente não teve acesso a tempo então ocorreu o 'arquivamento'”, disse Antônia.

Em meio à troca de acusações, a filha de Antônia Lúcia, Gabriela Câmara, postou nas redes sociais versículos bíblicos e mensagens motivacionais. "O insensato revela de imediato o seu aborrecimento, mas o homem prudente ignora o insulto. A ofensa fala mais sobre o caráter do ofensor do que do ofendido”.

Em 2020, Cristian Sales foi um dos sete presos na Operação Mitocôndrias, da Polícia Civil, suspeitos.

Gabriela e o marido Cristian

Leia o relato de Gabriela Câmara na íntegra:

A vítima de toda essa história sou eu: Gabriela Câmara

Minhas filhas foram sequestradas e estão em cárcere privado. Nesta quinta-feira, fui surpreendida com diversas matérias absurdas envolvendo o meu nome, do meu marido, do meu sogro, de minha mãe e das minhas filhas.

Além das matérias, tive a infelicidade de ler as publicações e os comentários acusatórios nas redes sociais dos envolvidos, todos envolvendo a minha pessoa e de meu esposo, Cristian Sales.

Faz 8 meses que estamos sofrendo esses ataques impiedosos. Evitei me manifestar publicamente porque os ataques partiram de minha mãe, deputada federal Antônia Lúcia, com objetivo de atingir à minha atividade pública e o governo a que eu estou servindo com imensa honra, referente a sua mais importante política pública de Regularização Fundiária, garantindo Justiça social.

Não queria expor a intimidade da minha família, mesmo porque sei dos problemas psicológicos quem nos ataca. Essa situação parte de uma pessoa desequilibrada que faz o uso de elevadas doses de medicamentos psicotrópicos. Em verdade, toda essa história fantasiosa busca esconder apenas uma situação: o sequestro de minhas filhas.

Estou impossibilitada de ver minhas filhas desde o início do corrente ano, decorrente do ciúme possessivo de minha mãe, que atualmente as mantém em cárcere privado.

Somos vítimas. Cristian é inocente, tudo isso está acontecendo somente pelo fato de acreditar e contribuir em um projeto político de um grupo que não é o da preferência da deputada federal Antonia Lúcia.

A legítima titular da guarda de minhas filhas, por sentença judicial, é unilateralmente minha. Portanto, elas foram sequestradas.

No mais, já estamos tomando as medidas judiciais cabíveis, em breve tudo se solucionará e a justiça será feita.

É o que tenho para informar ao querido povo acreano.

Gabriela Câmara
Publicidade TCE
Publicidade UEA
Publicidade CMM

Mais Recentes