Ir para o conteúdo

Toró que desabou em Parintins foi teste de resistência para alegorias na concentração do Bumbódromo

Apenas uma alegoria do Caprichoso, o anjo gigantesco do ritual Wagusia, sofreu torção em uma das asas

Diretor de logística do boi azul, Zandonai de Bastos, mostra alegoria

Parintins - A forte chuva, na madrugada desta quinta-feira (27/06), em Parintins, foi um teste para o material que os bumbás Garantido e Caprichoso  têm usado em suas alegorias. Em toda a concentração, apenas uma alegoria do Caprichoso, o anjo gigantesco do ritual Wagusia, sofreu torção em uma das asas.

— Mas foi o de menos, vamos ter que colocar no chão e consertar a parte danificada -,  disse o diretor de logística do boi azul, Zandonai de Bastos, ao Portal marioadolfo.com.

Segundo ele, a fibra feita à base de petróleo, utilizada hoje pelos artistas, impermeabiliza as alegorias.

Se houve um pequeno dano a uma alegoria do Caprichoso, no Garantido nada aconteceu. De acordo com o coordenador de concentração, Zinon Sena, o boi vermelho resistiu ao temporal “sem um arranhão”.

— Temos mais de 50 alegorias aqui e nenhuma foi danificada pela chuva. Trabalhamos com a previsão de dois temporais. Ainda vem mais por aí -, disse ele.

Um das explicações para essa resistência às intempéries, que estão sujeita as alegorias, são as tintas e o verniz que protegem outros materiais mais frágeis, como o isopor, por exemplo, usado para esculpir figuras, explica o coordenador.

Publicidade BEMOL
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade UEA

Mais Recentes