Ir para o conteúdo

Dito & Feito: AGONIA DOS BOTOS – A crônica de uma morte anunciada

“Será que estamos no começo do fim?”. É a pergunta que nos angustia, nesse tempos de seca que vem fazendo evaporar águas de rios gigantes

A capa do Estadão que revela a tragédia no Amazonas e estarrece o País

Uma leitora da coluna envia de São Paulo a capa do jornal Estadão, edição de terça-feira (03/10). A imagem é estarrecedora e, ao contemplar a foto de Miguel Monteiro/Instituto Mamirauá, nos faz mergulhar em estado de choque, tristeza e... medo! “Será que estamos no começo do fim?”, é a pergunta que nos angustia, nesse tempos de seca que vem fazendo evaporar águas de rios gigantes, majestosos,  poderosos como o Rio Negro, o Solimões, o Amazonas e o Tapajós.

A foto do jornal retrata a crônica de uma morte anunciada, repetida incansavelmente por ambientalistas, cientistas, biólogos, pesquisadores: “Se não fizermos nada, agora, a natureza vai dar o troco”. E deu! Nesta semana, mais de cem botos vermelhos e tucuxis apareceram mortos no lago Tefé, no Amazonas, e nas proximidades. A Principal hipótese é de que causa esteja relacionada à seca e alta temperatura da água.

A situação tende a se agravar já que estamos no início do período seco e a todo momento chegam mais notícias de animais mortos, afirmaram o WWF-Brasil e o Instituto Mamirauá. ]De acordo com a  CNN, grupos de pesquisa tentam resgatar animais que estão em poças rasas e de águas quentes para transferi-los para outros locais que ainda mantêm água fresca e profundidade mínima para manter os animais vivos. É o mínimo que poderemos fazer para nos desculpar das agressões que estamos impondo à nave-mãe Terra.

Luta pela vida

Nesse momentos uma brigada em favor da vida vem lutando para salvar os botos.

Uma Equipes e voluntários com experiência em resgate de fauna estão se unindo à ação emergencial, porém o difícil acesso à cidade de Tefé  faz com que a ação seja mais lenta que o desejado.

Jornada perigosa

Pesquisadores alertam que o  translado dos botos vivos para outros rios não é seguro, pois, além da qualidade da água, é preciso verificar se há alguma toxina ou vírus.

*

— Estamos mobilizando parceiros para coleta e análise e outras instituições que possuem expertise em resgate de animais –, ressalta André Coelho, do Instituto Mamirauá.

Pode ficar pior

O tradicional período de estiagem, que tem seu ápice em outubro, já está afetando 59 municípios com a redução do nível de água dos rios.

É esperado que a situação se agrave nos próximos 15 dias com a forte seca acometendo outras regiões do médio Solimões.

Golfinhos em risco

O significa em mais mortes de botos  tucuxis em zonas sem equipes disponíveis para resgate.

Isso faz com que o evento tome proporções ainda maiores e mais impactantes em um dos locais de maior densidade e abundância de golfinhos de rio da América do Sul.

Alerta ao planeta

Wilson Lima fez um alerta ao planeta, em relação à preservação da Amazônia.

O governador advertiu,  nesta sexta-feira (6), que enquanto houver pobreza e falta do atendimento de necessidades básicas da população do estado não será possível avançar na política de preservação exigida pelo mundo e que recai sobre a Amazônia.

Floresta sob pressão

A declaração foi feita durante o Encontro de Líderes, da Organização da Sociedade Civil Comunitas, em São Paulo, reunindo gestores dos setores público e privado.

— O Brasil, assim como outros países que têm área de floresta, sofrem uma pressão muito grande do mundo para a questão da preservação –, observou o governador.

Com pobreza não avança

Por outro lado, alerta o governador, os  gestores públicos sofrem também uma grande pressão das populações para prover aquilo que é básico para o cidadão.

*

— No estado do Amazonas, nós temos mais de 50% da população vivendo abaixo da linha da pobreza e não tem como a gente avançar numa política de preservação com pobreza –,  alertou Wilson Lima, em discurso.

Omar detona Marina

O senador Omar Aziz chamou a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, de “retrógada”.

A batida de frente aconteceu durante reunião na sede do governo do estado, quando a equipe enviada pelo presidente Lula veio a Manaus conferir a tragédia da seca no Amazonas.

Não nos privem!

Aziz questionou se o Brasil  é tão incompetente  que não consegue vigia uma estrada aberta?.

— Não nos privem. Ninguém tem o direito de privar o Amazonas e Roraima de ficarem  isolados da federação Brasileira. Ninguém tem esse direito! –, disparou o palestino.

BR-319 evitaria fome

Ao lado de Omar, o governador Wilson Lima aproveitou para também dar a sua  cutucada, lembrando uma das mazelas da mais cruel estiagem do Amazonas .

— Se a BR-318 estivesse funcionando, não haveria tanta gente morrendo de fome

Fica frio

Lula mandou um recado  ao ex-procurador-geral da  República Augusto Aras.

“Não haverá perseguição a Aras por parte do governo após ele deixar o comando da PGR”, garantiu o presidente.

Pendurou as chuteiras

Nos bastidores, o subprocurador demonstrava receio em ser perseguido pelo seu sucessor, que Lula deve indicar em breve.

*

Apesar do recado, Aras disse a aliados que pretende se aposentar do Ministério Público Federal após o presidente anunciar o novo chefe da PGR.

Novela tributária

Representantes do setor de serviços, responsável pela geração de 70% dos empregos no Brasil, defenderam nesta quarta-feira (4) a simplificação do sistema tributário.

*

No entanto, eles criticaram o aumento das alíquotas a ser gerado pela reforma, além de dispositivo que permite aos estados instituir contribuição sobre produção e exportação de produtos primários e semielaborados.

Pressão sobre Braga

Os especialistas também cobraram a desoneração dos investimentos, bem como não seja cobrado imposto seletivo sobre a atividade econômica e a regulamentação de saldos credores.

*

A avaliação ocorreu durante a nona audiência pública promovida pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) para discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 45/2019, que modifica o sistema tributário do país e é relatada pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM).

O alvo agora é Janja

Sem ter mais o que inventar de Lula, a  oposição bolsonarista agora mira a primeira-dama, Janja Lula da Silva, tentando atingir o presidente por tabela.

*

A prova de que a articulação de Janja no governo virou alvo da oposição na Câmara é que os partidos contrários ao governo entraram com requerimentos na Comissão de Fiscalização e Controle contra ela.

Solidariedade aos gaúchos

Os deputados bolsonaristas querem que ministros vão ao Congresso explicar, por exemplo, a viagem da primeira-dama ao Rio Grande do Sul.

A primeira-dama Janja Lula da Silva esteve no Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (28).

*

Ao lado do ministro da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência, Paulo Pimenta, ela visitou áreas afetadas novamente por um ciclone extratropical.

Perguntar não ofende

A  tragédia do Rio Grande do Sul não é motivo suficiente para a mulher do presidente visitar o estado gaúcho?

ÚLTIMA HORA

FUZUÊ NO TCE – Yara Lins diz que que foi chamada de  “safada” e “vadia” por Ari Moutinho

Yara Lins bota a boca no trombone e revela o xingamento que recebeu de Ari no pé do ouvido

Mais uma vez o Amazonas é destaque na mídia nacional, mas de forma negativa.

Um escândalo ocorrido dentro do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE) foi parar nas redes sociais e em alguns veículos de comunicação importantes do país. A conselheira Yara Lins, presidente eleita do TCE-AM, denunciou nesta sexta-feira (6) que sofreu agressão de um colega conselheiro, Ari Moutinho,  durante a eleição que definiu seu retorno ao cargo.

Segundo Yara, Ari a chamou de “safada”, “puta”  e “vadia”. O caso foi registrado na Delegacia Geral do Amazonas.

— Não está aqui a conselheira, está aqui uma mulher que foi covardemente agredida no Tribunal de Contas, dentro do plenário antes da eleição, para me desestabilizar. Eu fui cumprimentar o conselheiro Ari Moutinho e disse ‘bom dia’, e ele disse ‘bom dia nada, safada, puta, vadia. E me ameaçou dizendo ‘Eu vou te fuder”, disse Yara, durante coletiva Yara.

*

Yara disse que não aceita ameaças e exige que a justiça puna o agressor para que acabe com a violência contra as mulheres.

— Fui agredida dentro da minha função. Depois que eu fui agredida eu fiquei paralisada e passei a mão no rosto dele e disse que ‘ele era um infeliz e por isso que sofre tanto’ e ele sarcasticamente jogou um beijo para mim.

ORGULHO

Narges Mohammadi não se calou diante da violência iraniana

O Prêmio Nobel da Paz deste ano foi para uma ativista iraniana de 51 anos que luta em defesa das mulheres e pelo fim da opressão e pelos direitos humanos no Irã. Ela está presa pela 13ª vez.

Narges Mohammadi é reconhecida internacionalmente, apesar de todo o esforço para que ela se cale. No momento, ela está detida no país, proibida de receber visitas e de se comunicar com pessoas fora da prisão. Pela incansável luta, a iraniana foi condenada em cinco julgamentos e recebeu sentença de 31 anos de prisão e mais 154 chicotadas. Ela é uma guerreira que quer o fim da pena de morte no país, das chibatas e a garantir de liberdade de expressão. O Prêmio Nobel da Paz é concedido a Narges depois de a jovem Mahsa Amini, 22, detida pela Polícia da Moralidade no Teerã acusada de infringir o rígido código de vestimenta feminino ao deixar uma mecha do cabelo aparecer, entrou em coma e faleceu dias depois no hospital, há um ano.

VERGONHA

Sertanejo violento: Show de Maiara e Maraísa interrompido por bala

Um tiroteio durante o show de Maiara e Maraísa no aniversário do Tocantins, na madrugada desta sexta-feira (6), deixou um adolescente de 17 anos morto e 12 feridos. O crime aconteceu por volta das 3h, enquanto as cantoras estavam no palco. A vítima fatal foi identificada como Ruan Gomes da Silva. Outras 11 pessoas ficaram feridas e foram levadas para hospitais de Palmas. De acordo com o Governo do Tocantins, a confusão começou com uma briga entre um policial militar e dois homens.

Maiara e Maraísa precisaram ser retiradas do palco. Em nota, a dupla lamentou o ocorrido: “Uma festa linda para celebrar, mas infelizmente a cena de violência e uso de arma de fogo se repetiu, colocando milhares de pessoas em risco”.

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes