Ir para o conteúdo

Dito & Feito - Alfredo faz tudo que o chefe mandar e publica fake news contra Lula

O que Alfredo disse já foi desmentido há semana. Um triste final de carreira de quem ainda tenta algo junto ao bolsonarismo.

Alfredo Nascimento
Charge do Mário Adolfo

Às vezes se faz necessário perguntar: por que um homem público, mesmo sabendo do desgaste que pode recair sobre a sua trajetória política, divulga fake News para atacar adversários e atingir seus interesse pessoais?

Pois é isso que o ex-ministro do Transportes no governo do  PT – exonerado do cargo pela presidente Dilma Rousseff –, e ex-prefeito de Manaus, Alfredo Nascimento, anda fazendo por aí. Nascimento teve a cara de pau de afirmar nas redes sociais que a “esquerda defende ações terroristas do grupo Hamas”. Que mentira!

De acordo com a revista Cenarium, ao responder pergunta de seguidor da página do PL em uma rede social, Nascimento disse que a esquerda brasileira “defende pessoas que matam outras pessoas”.

— Direita, acorda! Isso é terrorismo. Vamos tomar de volta o poder, porque essa gente não pode continuar a rasgar todos os conceitos que nós temos de vida. Vamos à luta –, vociferou o atual presidente do PL que, quando estava mamando no governo do PT era de “esquerda” desde pequenininho.  Mas agora virou cão de guarda de Jair Bolsonaro. Isto é, subserviência de cabo para capitão.

Que vexame, Alfredão!

Leia para conhecer a verdade, Alfredo. A grande imprensa do país já desmentiu a besteira  que o senhor acaba de compartilhar, seguido a rezando na velha cartilha do Bolsonaro.  O problema é que você, Alfredo, não deve ter lido.

*

Não é verdade que Lula e outros integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT) posaram para  foto com um ex-líder do Hamas chamado Khalid Meshal.

Fake comprovado!

O jornal Estadão, por exemplo, investigou e concluiu que a publicação é falsa.

O homem que aparece ao lado de políticos do PT – como Lula, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad e a deputada federal e presidente do partido, Gleisi Hoffmann – é o brasileiro Mohamad El Kadri, presidente do Fórum Latino Palestino.

*

Este Fórum, Alfredo, trata-se de uma organização independente criada em 2016.

Nem tudo que parece é

Por meio de uma busca reversa das imagens compartilhadas, o jornal O estado de São Paulo conseguiu identificar que o homem nas fotos é Mohamad El Kadri, e não Khalid Meshal.

*

Além disso, ao comparar imagens dos dois, é perceptível que existem diferenças fisionômicas.

Além disso, a foto é velha!

Tem mais, seo Nascimento: esta  foto de Lula com Mohamad El Kadri foi publicada em 2021.

El Kadri  concorreu ao cargo de deputado estadual pelo PT em 2018.  E, à época, registrou fotos com diversas figuras políticas da sigla. A foto com Lula foi publicada no Facebook em 2021 pelo militante.

A foto de Lula é com o brasileiro Mohamad El Kadri e não com líder do Hamas

O povo acordou

Preste atenção, Alfredo Nascimento, fake News é crime e deu certo na primeira eleição do seu chefe, porque o eleitor não conhecia o tal do escritório do crime que fabricava notícias falsas.

*

Mas hoje isso já não dá certo. O povo acordou e sabe o que é verdade e o que é mentira. Vide a derrota do seu chefe nas urnas.

Fake não derruba Lula

Desde o início dos recentes conflitos no Oriente Médio, as redes sociais buscam associar o governo de Lula ao Hamas.

O Estadão Verifica desmentiu, por exemplo, que o governo de Lula teria doado R$ 25 milhões ao Hamas em 2010.

*

Também mostrou que um decreto do governo federal prevê a cooperação técnica do Brasil com a Autoridade Nacional Palestina (ANP), e não com o grupo islâmico.

Fuja disso, Alfredo!

No dia  16, o diretório nacional do PT publicou uma resolução sobre o conflito na região, tratando com equivalência os ataques do Hamas e de Israel. Isso é maturidade política!

*

As publicações desinformativas usam um assunto em evidência e de grande apelo para espalhar alegações sem apuração e confirmação. Fuja disso, Alfredo, se ainda quiser ganhar uma eleição para vereador!

Significado de Manaus

No aniversário de 354 anos de Manaus, uma curiosidade. Que o nome da cidade é uma homenagem aos índios da tribo Manaós que habitava, a região todo mundo sabe. Mas você sabia que o nome Manaus significa  “mãe dos deuses”?

Terra Yanomami saqueada

Durante uma operação de combate ao garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami, em Roraima,  dois homens foram presos com ouro, combustível, arma e munições.

Ação foi realizada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), no sábado, 21.

Arsenal

No momento da abordagem, os dois homens faziam a segurança de um depósito, onde foi encontrado peças de reposição para aeronaves, 1.500 L de combustíveis, gerador de energia, antena de internet via satélite, ouro e uma arma de fogo cal. 38 com 32 munições.

A justiça tarda...

Como diz um velho ditado da selva, a justiça tarda, mas não falta.

Só que a de Natal (RN) tardou demais. Um idoso de 83 anos, identificado como Raimundo Barbosa, ganhou um processo trabalhista após 34 anos e foi avisado da vitória pelo WhatsApp.

*

Raimundo Barbosa foi um dos beneficiários de um processo trabalhista que tramita desde 1989.

...E às vezes falha!

O idoso foi surpreendido na segunda-feira (23), com uma mensagem no aplicativo da 3ª Vara do Trabalho de Natal convocando-o para receber um alvará de pagamento.

Raimundo  não acreditou e achou que a mensagem era um trote.

*

— Eu nem me lembrava desse processo e foi uma surpresa receber a mensagem do tribunal –, revelou o operário que, em princípio, desconfiou que a mensagem era um trote.

ÚLTIMA HORA

451 BLOCOS DE PETRÓLEO NA AMAZÔNIA – Eneva e Petrobras são as principais operadoras na Região Amazônica


A região da Amazônia brasileira tem 451 blocos de petróleo em estudo, em oferta ou já concedidos. É cerca de 20% de todas as áreas no país, que somam 2.239. Os dados são do monitor de petróleo e gás lançado nesta 2ª feira (23) pelo Instituto Internacional Arayara em parceria com o Observatório do Clima. 21 blocos na região serão disputados em leilão marcado para dezembro. Os números consideram áreas em terra e no mar, o que inclui parte da Margem Equatorial. A maioria são blocos que estão na fase de análise potencial. São 307 na Amazônia, sendo 81% no mar, nas bacias da Foz do Amazonas e do Pará-Maranhão, e 19% em terra, na região da Amazônia legal. Integra a lista o bloco FZA-M-59, localizado na Bacia da Foz do Amazonas, mais precisamente no litoral do Amapá. A área vem sendo motivo de disputa entre a Petrobras, o Ministério de Minas e Energia e o Ibama, que negou em maio a licença para perfuração exploratória. Agora será feita uma reanálise, mas não há prazo.

*

Se considerarmos apenas os blocos já com contratos, seja na fase de exploração ou produção, são 52 na Amazônia, ante ao total de 278 em todo o país. Eneva e Petrobras são as principais operadoras na Região Amazônica, com 16 e 12 blocos, respectivamente.

ORGULHO

Estrelinha: A bailarina Cecília vai para o Bolshoi, aos 9 anos

Olha só que boa notícia. Cecília Maria, uma menininha de  9 anos, Cecília Maria foi aprovada para Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, que fica em Joinville, em Santa Catarina. É a única filial do balé fora da Rússia. Há seis anos, a bailarina brasileira vinha treinando sem parar, a pequena agora realiza um sonho. Ela ganhou bolsa integral de estudos com direito a acompanhamento médico e de fisioterapia.

A cidade de Liberdade, em Minas Gerais, onde nasceu a bailarina, fez uma linda homenagem para ela. Fotografias de Cecília Maria iniciando as aulas de balé, aos 3 anos, até os dias atuais com o resultado final da seletiva foram colocadas nas redes sociais.

VERGONHA

Rizha Castro: A jornalista foi demitida da Record por denunmciar assédio sexual

A denúncia feita pela jornalista Rhiza Castro, que foi demitida da Record TV dois dias após denunciar um diretor da empresa por assédio sexual, repercutiu fortemente nas redes sociais nesta terça-feira (24). O termo "Record apoia assédio" foi parar nos trending topics, os temas mais comentados, na rede X, antigo Twitter, com várias críticas à emissora de Edir Macedo, que teria feito vista grossa por mais de um ano sobre o crime contra a jornalista, apresentadora de telejornais da Record.

— A minha saída da empresa em que trabalhei como apresentadora em vários jornais em rede nacional. Eu sofri assédio sexual e retaliação por não ceder, no período de quase um ano. Quando eu já não tinha mais saúde para suportar o terror que estava vivendo, decidi denunciar o caso ao RH. Resultado: fui demitida dois dias depois da denúncia", contou a jornalista, sem revelar o nome do diret

Publicidade ENEVA
Publicidade ATEM
Publicidade TCE
Publicidade BEMOL
Publicidade UEA

Mais Recentes