Ir para o conteúdo

Dito & Feito - O dia da mentira dos bolsonaristas

Todo mundo embarcou, achando que seria “revolução”, mas era o golpe de 1º de abril

Charge de Mário Adolfo

Todos aqueles  que, por não lerem livros de história, defendem o golpe de estado e atacam a democracia deveriam ler o artigo “Golpe de 1º de Abril”, do  escritor, jornalista, tradutor e   professor universitário Juremir Machado da Silva.

Com texto leve e até irônico, ele discorre o que até parecia uma pegadinha de 1º de abril, o Dia da Mentira, mas que durou 20 anos. Sim, de pegadinha não tinha nada, mas de mentira tinha muita. A primeira delas é que os militares derrubaram o presidente João Goulart dizendo que iriam” colocar o país em ordem” e devolver aos civis. Mas isso não aconteceu. Machado da Silva lembra aquele dia da mentira, que foi tratado como revolução, mas na realidade era um GOLPE.  “Foi num 1º de abril que tudo aconteceu. Há 60 anos. O general Olímpio Mourão Filho, que se considerava uma “vaca fardada”, saiu de Juiz de Fora com a sua tropa para depor João Goulart. Os Estados Unidos apoiavam o golpe como se saberia com as revelações da Operação Brother Sam. O apoio era ao general Castelo Branco. Mourão achou que a coisa estava demorando e abriu a porteira”, escreveu o jornalista.

Paranoia do comunismo

O golpe de 1º de abril convenceu os tolos de que defendia a Constituição, a liberdade, a democracia e o Estado de direito.

“As classes médias urbanas, convencidas de que o comunismo estava na volta da esquina, deu seu aval para a aventura, que se estenderia até 1989, quando se voltou a eleger pela via direta um presidente da República”,

Imprensa chafurdou...

O que é mais vergonhoso daquele 1º de abril de 1964 é que não foi só a classe média  que  embarcou na mentira. A imprensa também apoiou os golpistas, preparando o

o terreno para a derrubada de Jango.

...na lama do golpe!

Conta Juremir que de Carlos Drummond de Andrade e a Antônio Callado, passando por Carlos Heitor Cony e Alberto Dines, todo mundo derrubou João Goulart”, critica o articulista

“A imprensa chafurdou na lama do golpe”.

A vergonha dos jornalões

O jornal O Estado de São Paulo teve Júlio de Mesquita como um dos artífices do plano golpista.

O Jornal do Brasil, dirigido por Alberto Dines, esteve sempre na linha de frente do golpismo.

E O Globo, hein?

O Globo colaborou com a queda de Jango de modo entusiástico, “vendo na ruptura institucional um retorno da democracia”, entrega  Juremir Machado da Silva.

Folha emprestou até carros

Até a  Folha de São Paulo manteria longa colaboração com a ditadura, o que se consagraria no triste episódio do empréstimo das suas camionetes Veraneio para o transporte de presos políticos com destino aos subterrâneos da tortura.

Viva Samuel Wainer!

A única exceção do jornal Última Hora, jornal fundado pelo jornalista Samuel Wainer, com ajuda financeira de Getúlio Vargas.

Por conta disso Samuel foi preso e exilado.

Zero Hora já nasceu golpista

Só o Zero Hora, de Porto Alegre,  não apoiou o golpe, pois ainda não existia.

Surgiu em maio de 1964 já abertamente favorável ao regime militar. A imprensa chafurdou na lama do golpe.

E sabe o que aconteceu com a “revolução que vinha para mortalizar o país e salvar o Brasil do comunismo?”

Nas suas mais de duas décadas de ditadura, o regime fardado matou, torturou, cassou mandatos, censurou, prendeu e arrebentou vidas.

*

“A corrupção correu solta e só não foi conhecida de todos por não poder ser divulgada pelos jornais, salvos exceções e bloqueios furados”, revela o artigo de Juremir Machado.

Era só o começo

Até 9 de outubro de 1964, com Castelo Branco – o primeiro ditador do regime de farda –, ainda se ajeitando na cadeira começou o período de perseguições: 4.454 aposentadorias forçadas, 1.408 demissões do serviço público, 2.985 punidos. Era só o começo.

Tortura nos porões da ditadura

O historiador e militante Jacob Gorender, sintetizou o horror do regime em números aproximados: “Com os dados hoje disponíveis, pode-se estimar que cerca de cinquenta mil pessoas tiveram, no período ditatorial, a experiência traumática da passagem pelos ‘porões’ e, destas, não menos de vinte mil foram submetidas à violência da tortura.

Só os bobos querem...

Nos cerca de oitocentos processos por crimes contra a segurança nacional, e encaminhados à Justiça Militar, figuraram onze mil indiciados e oito mil acusados, resultando em alguns milhares de condenações.

...Um novo golpe!

Um lado foi duramente punido. O outro, o dos torturadores, jamais foi molestado.

Os bobos de 1º de abril sonham com novo golpe.

Instagram sumiu

Nesta segunda-feira (1º/3), em que é celebrado o Dia da Mentira, o Instagram passou por uma instabilidade.

Legendas e comentários de publicações — tanto na versão mobile como na desktop — desapareceram.

Usuários da plataforma lotaram o X/Twitter com comentários sobre a situação.

Quem tentou compartilhar conteúdo no feed, surpreendeu-se com o campo de legenda em branco.

E o salário, ó!


A vereadora Professora Jacqueline (União Brasil) ocupou a tribuna, nesta segunda-feira (1º), para repudiar a proposta de reajuste salarial dos professores da rede municipal de 1,25%, apresentada pelo prefeito de Manaus, David Almeida (Avante).

— O valor a ser reajustado não é digno para um profissional que trabalha diariamente –, detonou a vereadora que já sentiu a pele o que é viver de salário de professora.

.

Uma merreca!

De acordo com o texto da proposta, um professor com 20 horas semanais de trabalho e dois anos de experiência teria o aumento R$ 30,61.

Segundo Jacqueline, a situação é mais preocupante no caso de um professor com cerca de cinco anos de serviço e uma carga horária de aproximadamente 40 horas semanais.

— Mesmo diante do reajuste proposto para 2024, o incremento salarial seria inferior a R$ 100 –, lamentou Jacqueline.

Relâmpagos e trovoadas

Prenúncios de tempestades contra o prefeito David Almeida (Avante)  lá para as bandas da Câmara Municipal.

O presidente da Casa, vereador Caio André (Podemos) assinou, nesta segunda-feira, 1º/4, o requerimento de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que deve investigar a Secretaria Municipal de Comunicação de Manaus (Semcom).

*

Sendo o 14º vereador a apoiar o pedido de instalação da comissão, Caio André completa a assinatura chave para o prosseguimento da “CPI da comunicação” na Casa Legislativa Municipal.

Cutucão do Alemão

A proposta de criação da CPI foi feita pelos vereadores William Alemão (Cidadania), Rodrigo Guedes (Podemos) e Carpegiane Andrade (Republicanos).

A comissão vai apurar denúncia sobre pagamento em dinheiro da Prefeitura, a um site de notícias da capital, conhecido por Abutres.

Provando do próprio veneno

Depois de se juntarem para buscar a cassação do senador Sérgio Moro (União-PR), o PT, do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o PL, do ex-presidente Jair Bolsonaro, agora se preparam para uma eventual briga pela cadeira do senador.

*

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) começa a julgar nesta segunda-feira, 1º, as ações patrocinadas pelos dois partidos contra a chapa do ex-juiz da Operação Lava Jato.

Nas mãos do TSE

Seja qual for o resultado do julgamento no TRE, a palavra final deverá ser do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a quem Moro sempre disparou críticasd ácidas e mentirosas para fazer o jogo do ex-presidente Bolsonaro de desacreditar as eleições.

*

Caso a Justiça Eleitoral decida pela cassação de Moro, uma eleição suplementar deve ser marcada para escolha de um novo senador do Paraná, que vai ocupar o cargo até 2030.

Bye, bye Eliana

O SBT anunciou, nesta segunda-feira (1º/4), o fim do contrato da apresentadora Eliana com o canal. De acordo com nota divulgada pelo canal, a decisão foi tomada de “forma mútua e amigável”.

*

“Após quase 15 anos à frente de um programa consolidado e de grande sucesso, Eliana decidiu que era o momento de uma nova fase com outros desafios profissionais”, diz a nota da emissora do Sílvio Santos.

Revista bancou...

Uma semana após a libertação de Daniel Alves da prisão, o mistério por trás da fiança milionária de um milhão de euros foi solucionado. A revista espanhola Fiesta revelou que não foi uma pessoa individual, mas sim uma revista brasileira de renome internacional que desembolsou a quantia para garantir a liberdade do ex-jogador de futebol.

.... Liberdade de Daniel!

A revista, conhecida por suas reportagens sobre figuras importantes do Brasil e do mundo, teria desembolsado o valor em troca de uma entrevista exclusiva com Daniel Alves, que seria realizada em formato de vídeo documental.

ÚLTIMA HORA

Força Nacional no Rio de Janeiro continuará e na Amazônia Legal

Guarnecendo as fronteiras da Amazônia:o verdadeiro papel das Forças Armadas

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, estendeu o período de atuação da Força Nacional no Rio de Janeiro e na Amazônia Legal. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (1).

Segundo a portaria, o uso da Força Nacional foi estendido por mais 180 dias, de 1º de abril a 27 de setembro, nas regiões Norte (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), Nordeste (Maranhão) e Centro-Oeste (Mato Grosso).

*

Na Amazônia Legal, os agentes continuam no local apoiando as ações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

ORGULHO

Zeca Pagodinho: o ser humano simples, solidário e abençoado

Depois muita gente questiona por que Zeca Pagodinho faz tanto sucesso e é tão bem sucedido na carreira. O cantor tem um coração do tamanho do mundo. Neste domingo ele distribuiu ovos de Páscoa para crianças de Xerém, Rio de Janeiro, e o vídeo divulgado nas redes encantou internautas.

Nas imagens, divulgadas pelo SóNotíciaBo, o cantor e compositor toca o sino, avisando que a distribuição vai começar, e logo a criançada forma uma fila para receber os doces de chocolate.

— Todo mundo trabalhando e “vambora”  que eu vou tocar o sino e vai começar”, disse Zeca, que entregou pessoalmente os ovos para cada uma delas com um abraço.

Realmente Zeca é um ser humano simples e solidário.

VERGONHA

Preso, Domingos Brazão ainda queria receber férias

Imaginem só, mesmo depois de ser preso por ser o mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) Domingos Brazão entre 2017 e 2022, ainda queria receber o pagamento em dinheiro do período de férias não tiradas, no valor  de R$ 581 mil. Nesse período, Brazão estava afastado do cargo por suspeita de fraude e corrupção. O valor das férias chega a R$ 581 mil. Só que   juíza Georgia Vasconcelos, da 2ª Vara de Fazenda Pública da Capital, determinou a suspensão do pagamento em dinheiro do período de férias não tiradas pelo assassino entre 2017 e 2022.

Publicidade TCE
Publicidade CIESA
Publicidade UEA

Mais Recentes