Ir para o conteúdo

Dito & Feito - Nem sempre o que é bom para os brancos é bom para os indígenas

Desde que Pedro Álvares Cabral pisou em terras brasileiras, os indígenas, verdadeiros donos do pedaço, nunca mais tiveram paz.

Charge de Mário Adolfo.

Desde que Pedro Álvares Cabral pisou em  terras brasileiras, os indígenas, verdadeiros donos do pedaço, nunca mais tiveram paz.

Nem bem conseguem superar um conflito e já aparece outro. Quando a preocupação era os garimpos que o governo do presidente Lula começou a combater, eis que surge nova ameaça: o Petróleo em suas terras.

A imprensa do sul maravilha publica que quatro blocos para exploração de petróleo e gás na Amazônia impactam cinco terras indígenas e três unidades de conservação, como mostra um laudo técnico produzido pelo MPF (Ministério Público Federal). Eles  foram arrematados nesta quarta-feira (13) em leilão da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Barulho alto

A coisa envolve muita grana. Para se ter uma ideia, os bônus pagos somam R$ 7,8 milhões. Só nessa bacia, foram ofertados 20 blocos ao todo, mas só foram arrematados quatro: T-63, T-64, T-107 e T-133.

Áreas preservadas

O relatório da Secretaria de Perícia, Pesquisa e Análise da PGR (Procuradoria-Geral da República), elaborado em 2021 a pedido da Procuradoria da República no Amazonas, aponta interferência de eventual exploração de petróleo nos blocos em territórios tradicionais e em áreas preservadas da Amazônia.

Quem paga o pato?

Agora veja quem vai sofrer o impacto dessa tragédia anunciada, enquanto os homens brancos abarrotam os bolsos de dinheiro.

De acordo com o laudo, o bloco T-107 impacta as terras indígenas Gavião, Lago do Marinheiro, Ponciano e Sissaíma, do povo mura, em Careiro (AM) e Careiro da Várzea (AM).

*

Esse territórios estão em fase de regularização ou declaração, segundo documento do MPF.

Um acordo para a ZFM

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sinalizou nesta sexta-feira (15) que os congressistas chegaram a um acordo sobre a Zona Franca de Manaus na reforma tributária.

*

As conversas para um acordo incluíram o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para que a promulgação da PEC seja realizada ainda em 2023.

Competitividade garantida

Durante a análise da proposta de emenda à Constituição no Senado, foi definido que os itens produzidos por outros estados que sejam similares aos da Zona Franca de Manaus terão a cobrança da Contribuição sobre Intervenção de Domínio Econômico (Cide).

*

Essa seria uma forma de manter a competitividade da região, segundo indicou o relator da reforma, Eduardo Braga (MDB-AM).

Banda dos descontentes

A alteração, no entanto, passou a ter resistência de bancadas de outros estados na Câmara.

Segundo Lira, um meio-termo foi alcançado, depois de diversas reuniões entre ele, Pacheco, Braga e o relator da Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Nem lá, nem cá!

Lira deixou claro que é preciso ter a sensibilidade de chegar em um acordo possível.

— Não se dá para votar um texto que só atenda a Zona Franca nem um texto que não atenda a Zona Franca –, disse Lira.

CPI só em fevereiro

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem, que terá  o senador Omar Aziz (PSD-AM) como  presidente, já  está instalada.

Mas os trabalhos só começar]ao a partir de fevereiro.

Maceió corre risco

A comissão será responsável por investigar a Braskem, no contexto em que as minas de extração de sal-gema da empresa ameaçam colapsar em Maceió.

Antes que desabe

E é bom que comece logo, porque  parte de uma das minas desabou no último domingo, 10.

Será que aguenta até fevereiro?

Manaus tem “PIBão”

Manaus está em 5º lugar entre os municípios com o maior índice de Produto Interno Bruto (PIB) em 2021.

É o que garante levantamento elaborado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Equilíbrio de gestão

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Serafim Corrêa, os números positivos do PIB representam o equilíbrio na gestão do governador Wilson Lima na condução do Amazonas.

*

—  Os números demonstram que não só Manaus, mas todo o Amazonas tem evoluído no contexto econômico brasileiro, e reflete não apenas o potencial econômico do estado, mas também a capacidade de se recuperar e prosperar em um ambiente econômico em constante evolução –, avalia Sarafa.

.

Até tu, Queiroz?

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) e considerado braço direito do clã Bolsonaro no Rio de Janeiro, Fabrício Queiroz anunciou que se filiou ao partido Democracia Cristã (DC) para disputar as eleições para vereador da capital fluminense no pleito municipal do ano que vem.

Quem é o capeta?

— 2024 é logo ali! Precisamos eleger o máximo de candidatos de direita, para combater esses demônios da esquerda que assombram nossas famílias. Deus, pátria, família! –, escreveu em seu perfil no Instagram.

*

Só tem uma coisa: Queiroz esquece que, nessa história o capeta é ele!



ÚLTIMA HORA

ALÇA DE MIRA – Justiça eleitoral do Paraná pede a cassação de Sérgio Moro

A Procuradoria Regional Eleitoral do Paraná recomendou nessa quinta-feira (14) a inelegibilidade e a cassação do mandato do senador Sergio Moro (União-PR) por abuso de poder econômico durante a pré-campanha eleitoral de 2022. Duas ações de investigação judicial eleitoral (Aijes) movidas pelas coligações encabeçadas pelo PT e pelo PL na última eleição para o Senado no estado acusam Moro de caixa dois, utilização indevida de meios de comunicação social, além de abuso de poder econômico. O caso será julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná. Em caso de condenação, Moro ainda poderá recorrer ao Tribunal  Superior Eleitoral (TSE).

*

Caso a chapa de Moro seja cassada, os paranaenses terão de voltar às urnas para escolher o novo senador. Alguns nomes, como os deputados Ricardo Barros (PP-PR) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-senador Roberto Requião, postulam candidatura para a sucessão do ex-juiz da Lava Jato. Em depoimento ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná no dia 7 de dezembro, Moro negou ter cometido irregularidades e chamou de levianas as acusações movidas contra ele.

ORGULHO

Teatro Amazonas: o templo da arte pode virar Patrimônio Mundial pela Unesco

Uma boa notícia para amazonense e paraenses.  OTeatro Amazonas, em Manaus (AM), e o Theatro da Paz, em Belém (PA), podem em breve alcançar o reconhecimento como Patrimônio Mundial pela UNESCO. O primeiro passo rumo a essa distinção para os Teatros da Amazônia foi dado nesta sexta-feira (15), durante a realização da primeira oficina de mobilização na capital manauara. Este evento reuniu representantes dos governos do Amazonas e Pará, prefeituras de Manaus e Belém, sociedade civil, pesquisadores e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Estes icônicos teatros, testemunhas do ciclo da borracha na região, não apenas representam a rica história e arquitetura da Amazônia, mas também simbolizam a interseção da região com a economia e a geopolítica internacional nos séculos XIX e XX. Motivo de orgulho para todos nós amazônidas.

VERGONHA

Armas de fogo continuam sendo o principal instrumento utilizado em assassinatos no Brasil

Ocupando a 23ª posição e com uma taxa de homicídio de 54.4 por 100 mil habitantes. Manaus está no ranking de cidades mais violenta do Brasil. De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Jequié, cidade localizada no interior da Bahia, é apontada como o município mais violento do país, com mais de 156 mil habitantes. A taxa de mortes violentas na cidade é de 88,8 por 100 mil habitantes, mais que o dobro da média nacional. As armas de fogo continuam sendo o principal instrumento utilizado em assassinatos no Brasil, representando 76,5% dos homicídios, de acordo com o relatório. Além disso, agressões, enforcamentos e sufocamentos são responsáveis por 37,1% das mortes resultantes de lesões corporais. O Rio de Janeiro não aparece no ranking, acredita?

Publicidade TCE
Publicidade UEA
Publicidade CMM

Mais Recentes